Crítica | ‘Crimes em Happytime’ não inova mas diverte e conta com o carisma dos Muppets

Desde seu papel mais conhecido como Sookie St. James em Gilmore Girls (2000), Melissa McCarthy vem se tornando uma das maiores atrizes de comédia atualmente. Fato esse que pode ser notado pela grande quantidade de comédias (umas ótimas e outras nem tanto) que vem estrelando, inclusive em seu mais novo filme, Crimes em Happytimeque tem a premissa de mostrar o lado sujo dos Muppets quando as crianças não estão assistindo.

No longa, McCarthy interpreta Connie Edwards, uma policial que ao lado do ex-policial, que agora trabalha como detetive particular Phil Phillips (dublado por Bill Barretta), investigam uma série de assassinatos dos integrantes da série de TV “The Happytime Gang”, que era um grande sucesso nos anos 80. O elenco também conta com grandes nomes como Maya Rudolph, interpretando a secretária de Phil, Bubbles, e Elizabeth Banks com a personagem Jenny, uma das integrantes da série e ex-namorada de Phil.

Enquanto no gênero policial, o filme não foge dos clichês, se assemelhando a qualquer outro do gênero, inclusive com reviravoltas e o vilão explicando o porquê de ter cometido os crimes no final, logo o destaque fica para o humor negro e para as piadas extremamente exageradas, que em contraste com a aparência fofa e ingênua dos Muppets, funciona muito bem. Inclusive, as melhores piadas do filme são contracenadas pelos Muppets, em cenas cheias de piadas sobre uso de drogas, sexo e muitos, mas muitos palavrões.

Já no elenco humano o destaque fica para Maya Rudolph,com a sua ingênua Bubbles. Mesmo tendo pouquíssimo tempo de tela, ela consegue roubar a atenção em todas as cenas que está, inclusive não falando nada em algumas piadas. Enquanto Melissa McCarthy e Elizabeth Banks, mesmo tendo bons momentos, passam a impressão de que já fizeram os mesmos papéis em outros filmes, como a policial durona e a sexy ex-namorada do protagonista, respectivamente. Inclusive, além de Bubbles, poucos personagens humanos chamam a atenção justamente para que foco fique nos Muppets.

Apesar de ter bons elementos, no geral, não existe a sensação de novidade em Crimes em Happytime , ou seja, não há algum elemento que marque o filme na memória. A comédia funciona por causa do uso dos Muppets e do contraste que eles causam diante de piadas adultas, mas não é exatamente algo que você não encontraria em nenhum outro filme. Inclusive nos filmes que ele tem inspiração, como o próprio filme dos Muppets, de 2011, que mesmo sendo um filme com a classificação indicativa mais baixa, também tem o humor baseado no contraste entre os Muppets com os humanos.

No fim, apesar de ser uma boa comédia e ter ótimas piadas, Crimes em Happytime traz a sensação de repetição, mesmo com os Muppets falando palavrão.

3

RESUMO

Apesar de ter bons elementos, Crimes em Happytime não apresenta nenhuma novidade, mas conta com o carisma dos Muppets, que roubam a cena.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Matheus Ribeiro

Paulista, jornalista em formação, gamer e viciado em filmes e séries. Acredita que boas histórias nos ajudam a conhecer não só a maneira que a sociedade funciona, mas a conhecer a nós mesmos.