Emmy 2018 | Injustiçados pela premiação: 4 séries e 1 telefilme que merecem sua atenção

O Emmy Awards comemorou sua 70ª edição nesta última segunda-feira (17) e entregou os maiores prêmios da noite de Melhor Série de Drama e Melhor Série de Comédia à Game of Thrones e The Marvelous Mrs. Maisel. A cerimônia deste ano foi marcada pela imprevisibilidade do resultado de algumas categorias, que o público já dava como certo quais seriam os vencedores.

Matthew Rhys de The Americans, após ter passado 3 anos indicado e não levar a estatueta, finalmente ganhou seu merecido Emmy de Melhor Ator em Série Dramática. Era sua última chance após a finalização da série. Claire Foy também levou a melhor por seu desempenho como Rainha Elizabeth II de The Crown. Igual a Rhys, Foy também corria risco de finalizar sua jornada sem levar uma estatueta para casa.

Mas, nem todos tiveram a mesma sorte e, infelizmente, acabaram saindo de mãos abanando. Alguns pela primeira vez, e outros por mais um ano consecutivo. Confira abaixo uma lista das séries mais injustiçadas pelo Emmy deste ano, e que com certeza, merecem bastante sua atenção.

THE AMERICANS

Mesmo levando em consideração as duas estatuetas que levou para casa este ano (Melhor Ator e Melhor Roteiro em Série Dramática), The Americans ainda é uma excelente série com um reconhecimento muito abaixo do que merecia. A história é focada em um casal de espiões da inteligência russa vivendo disfarçado nos Estados Unidos durante a Guerra Fria. Finalizada com 6 temporadas, a série é ovacionada pela crítica desde sua estreia, alcançando o seu auge em sua temporada final.

The Americans (FX)

KILLING EVE

Muito foi falado por causa da indicação de Sandra Oh por Killing Eve à Melhor Atriz de Série Dramática. Conhecida pelo papel de Cristina Yang em Grey’s Anatomy, Sandra é a primeira mulher asiática a ser indicada na categoria. E mesmo não levando a estatueta, sua atuação e a série em si merecem atenção. Killing Eve conta a história de uma assassina e uma detetive em um jogo de gato e rato. A premissa pode parecer simples, mas a série é bem-humorada, possui um ritmo ágil que prende o espectador durante seus 8 episódios, e vai muito além do que parece ser. Sandra Oh está fantástica, e sua parceira de tela, Jodie Comer, não fica atrás.

Killing Eve (BBC America)

INSECURE

Issa Rae é um achado na comédia americana. Começou sua carreira no YouTube em uma websérie chamada Awkward Black Girl, e hoje é criadora, atriz principal, escritora e produtora de uma das melhores comédias atuais da HBO. Insecure está em sua segunda temporada, e conta a história e os dilemas de vida de uma mulher negra vivendo em Los Angeles. Pouco reconhecida na premiação, Insecure possui fortes críticas sociais misturadas com humor, além de possuir a genialidade de sua protagonista, que é, com certeza, o ponto forte da atração.

Insecure (HBO)

SILICON VALLEY

A série se passa no Vale do Silício e segue a história de um grupo de amigos descobrindo que tem uma empresa milionária em mãos quanto tentam desenvolver um aplicativo focado em criação de música. Marca registrada em todos os Emmys desde a sua estreia em 2014, Silicon Valley nunca levou uma estatueta para casa. Mas, por estar sempre carimbando presença na premiação, já mostra que possui uma altíssima qualidade. Humor inteligente e focado em algo que não é muito explorado na televisão e no cinema, Silicon é mais uma comédia da HBO que merece muito mais atenção.

Silicon Valley (HBO)

THE TALE

Aqui temos um caso diferente. The Tale não é uma série, e sim, um telefilme. Exibido pela HBO em agosto deste ano, o filme conta a história de uma mulher relembrando um relacionamento vivido em sua infância com um casal de adultos. Tema polêmico, e muito bem explorado, The Tale foi fortemente cotada para levar a estatueta de Melhor Telefilme e Melhor Atriz em Telefilme/Minissérie pela atuação estupenda de Laura Dern. No fim, acabou saindo sem nada, e se tornando uma das maiores injustiças cometidas pela academia neste ano. Dern dá um show à parte e eleva a qualidade da produção que já é excelente. Vale a conferida.

Gabriel Granja

Jornalista apaixonado pela sétima arte. Acredita que o cinema tem o poder de mudar pensamentos, pessoas e o mundo. Encontra nos filmes e séries um refúgio para o caos da vida cotidiana.