Crítica | American Horror Story: Apocalypse 8×01: ‘The End’ traz um novo começo para o fim do mundo

A tão esperada temporada de American Horror Story estreou originalmente nessa quarta (12) na FX. Apresentada aos fãs como um crossover de Murder House e Coven, Apocalypse se passa em outubro de 2019 e vai trazer os atores veteranos da série interpretando não só seus novos papéis, mas também os dessas duas temporadas anteriores.

O primeiro episódio da temporada começa sem perder tempo. Como o título já explica, a primeira cena de American Horror Story: Apocalypse já informa que Los Angeles será a próxima cidade a ser atingida por um míssil, alertando seus habitantes a procurarem um abrigo imediatamente. Enquanto isso, outras cidades também estão sendo atingidas e o ar se torna radioativo, fazendo com que seja impossível ficar ao ar livre sem a utilização de máscaras.

A partir do caos que a cidade enfrenta, conhecemos alguns dos principais personagens dessa temporada. O restante do piloto acontece em um abrigo subterrâneo onde estão os poucos que sobraram depois do desastre: os ricos que pagaram por sua sobrevivência; os que foram escolhidos para sobreviver com base em seu DNA; e os pobres, que “ganharam” a oportunidade de trabalhar no local em troca de proteção.

Sendo assim, os privilegiados são reconhecidos como “roxos” e os trabalhadores como “cinzas”, enquanto Wilhemina Venable (Sarah Paulson), que comanda a casa e só admite ser chamada por “Senhorita Venable”, é apresentada falando sobre como a tecnologia criou a ilusão das pessoas serem iguais e como o apocalipse restauraria a ordem. Esse discurso abriu a possibilidade para a temporada assumir uma narrativa mais crítica e abrir uma discussão sobre classes sociais, como aconteceu em AHS: Cult, que criticou o confinamento ideológico presente no século XXI e a ultra violência.

Um dos maiores atrativos em AHS, porém, ainda é seu elenco. Em Apocalypse, Sarah Paulson, Evan Peters, Emma Roberts e Billie Lourd são confirmados como principais, enquanto Jessica Lange e Taissa Farmiga aparecerão como recorrentes. Ao final do piloto, ainda conhecemos o novo integrante do elenco e o primeiro traço do crossover: Cody Fern faz o papel de Michael Langdon, o famoso bebê anticristo de Tate Langdon e Vivian Harmon, de Murder House.

Como nas temporadas anteriores, o primeiro episódio consiste em focar na apresentação dos novos personagens e preparar o terreno para uma narrativa que ainda vai se desenvolver nos próximos episódios, não explicando muita coisa. Mesmo puxando para um lado mais cômico no meio de uma história que poderia ser essencialmente tenebrosa, o ponto positivo é que o episódio de abertura de Apocalypse contém todas as características de American Horror Story que os fãs adoram.

American Horror Story: Apocalypse estreou no Brasil hoje (13) e terá novos episódios toda quinta-feira às 16h, no canal FX.

4

Resumo

Primeiro episódio de American Horror Story: Apocalypse foca na apresentação dos novos personagens e prepara o terreno para uma narrativa que ainda vai se desenvolver nos próximos episódios.

Rafaella Rosado

Jornalista em formação e apaixonada pela sétima arte desde pequena, quando achava que era possível ver todos os filmes do mundo. Acredita que o cinema é uma forma de viajar e conhecer outras realidades sem sair do lugar.