Crítica | ‘The Tale’ traz um tema difícil de forma brilhante e necessária

Resenha de:
Matheus Ribeiro

Reviewed by:
Rating:
5
On 19 de agosto de 2018
Last modified:19 de agosto de 2018

Summary:

Dirigido pela estreante Jennifer Fox, "The Tale" não é um filme fácil de digerir, mas possui uma temática que é importantíssima de ser discutida.

Em um momento em que a pauta da igualdade da mulher, dos direitos e do feminismo tem sido tão fortes, impulsionada pelo movimento “Me Too” e com os escândalos do produtor Harvey Weinstein, era uma mera questão de tempo até que filmes como The Tale fossem lançados. Produções que contam histórias e situações que infelizmente são comuns para mulheres, como assédio e abuso sexual por exemplo.

The Tale conta a história de Jennifer (Laura Dern), uma documentarista que está perto de concluir um projeto sobre a vida das mulheres ao redor do mundo, quando recebe a ligação de sua mãe, Nettie (Ellen Burstyn), que relata ter encontrado uma história escrita por Jennifer aos 13 anos, contando dos vários encontros com a sua instrutora de equitação Sra. G (Elizabeth Debicki) e seu treinador de corrida Bill (Jason Ritter). A partir daí, Jennifer parte em busca de saber o que realmente aconteceu durante essa época, já que o conto lhe passa uma versão bem diferente daquela história que estava em suas lembranças.

A direção fica por conta de Jennifer Fox, produtora de filmes como O Abrutre (2014), O Legado Bourne(2012), Precisamos falar sobre Kevin (2011), entre outros. Em seu primeiro trabalho como diretora, Jennifer consegue conduzir essa história difícil de ser assistida de maneira primorosa, principalmente na maneira que ela é narrada. Como já se passaram 40 anos desde a história que está sendo contada, vários elementos são utilizados para mostrar que a memória da protagonista não é precisa, como uma iluminação que de repente muda, até mesmo cenas inteiras que mudam completamente de tom quando a protagonista relembra exatamente o que aconteceu.

Além disso, a jornada na mente confusa de Jennifer fica ainda mais completa quando são reproduzidas conversas que estão acontecendo no subconsciente da personagem, que questiona desde ela mesmo mais jovem, até seus instrutores numa tentativa de tentar entender o porquê do ocorrido.

O elenco, que ainda conta com John Heard e Frances Conroy (de American Horror Story) faz um trabalho perfeito, mas o destaque certamente fica para Laura Dern, que consegue passar o sofrimento de uma pessoa descobrindo e revivendo um abuso de uma maneira que fica extremamente difícil de assistir. Destaque também para Jason Ritter e Isabelle Nélisse, que conseguem fazer cenas de arrepiar de pavor.

No fim, The Tale não é um filme fácil de digerir, pois a história contada não é fácil, com uma narrativa pesada mas que é importantíssimo de ser discutido. Existem cenas que podem ser consideradas explicitas (mas não de uma maneira ofensiva), mas que estão lá com o propósito de explicar o tipo de relação que está sendo mostrada, o que faz com que elas não estejam lá gratuitamente.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Matheus Ribeiro

Paulista, jornalista em formação, gamer e viciado em filmes e séries. Acredita que boas histórias nos ajudam a conhecer não só a maneira que a sociedade funciona, mas a conhecer a nós mesmos.