E se ‘Thor: Ragnarok’ tivesse uma abertura de anime?

É inegável dizer que Thor: Ragnarok entrou para o grupo dos filmes mais divertidos da Marvel. A parceria entre o Deus do Trovão (Chris Hemsworth) e seu irmão trapaceiro Loki (Tom Hiddleston), a luta com Hulk (Mark Ruffalo), a empoderada Valquíria (Tessa Thompson) em ação e a explosão de cores empregadas pelo diretor Taika Waititi deram ao filmeestética e narrativa bastante características das animações produzidas pelos estúdios japoneses, conhecidos como anime.

O usuário do Youtube no mane animation resolveu combinar todos esses elementos e realizou um vídeo emulando uma abertura bastante característica dos animes. No vídeo, as cenas de Thor: Ragnarok são mostradas com a canção Rising Hope, da cantora japonesa LiSA. O resultado você confere abaixo:

Essa não foi a primeira vez que um blockbuster de Hollywood ganhou uma versão em anime. Em 2017, baseado em ilustrações do artista Mike Anderson, o usuário do twitter Kev Chelios criou uma pequena animação, com a assustadora cena do bueiro de It – A Coisa.

A Marvel no Japão

Se a abertura é apenas baseada na forma como os animes são feitos, ter histórias contada nesse estilo de animação não é uma novidade para a Cada das Ideias. Em 2010, A Marvel Entertainment e o estúdio de animação Madhouse realizaram uma parceria e criaram quatro séries animadas, baseadas no Homem de Ferro, Wolverine, X-Men e Blade.

A associação também rendeu, posteriormente, dois longas: Iron Man: Rise of Technovore, de 2013, e Avengers Confidential: Black Widow & Punisher, anime lançado no ano seguinte.

Em 2014, Marvel Disk Wars: The Avengers foi ao ar, em uma parceira entre Walt Disney Japan e a Toei Animation, mesma produtora de sucessos como Dragon Ball e Cavaleiros do Zodíaco. O anime mais recente da Marvel é Marvel Future Avengers, lançado em 2017, e que estreia sua segunda temporada ainda esse ano.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Léo Barreto

Carioca, apreciador de filmes e séries em tempo integral, quando o Bernardo (filho dele) deixa. Iniciou sua admiração pela sétima arte com os clássicos da sessão da tarde e se apaixonou pelo mundo das séries quando o Voo 815, da Oceanic, caiu misteriosamente em algum lugar no meio do nada...