Christopher Nolan diz que vilões definiram a trilogia ‘Batman: O Cavaleiro das Trevas’

Em entrevista a Variety no último sábado (12), durante o Festival de Cannes, Christopher Nolan falou sobre o processo de construção da aclamada trilogia Batman: O Cavaleiro das trevas.

“Para mim, cada filme possui um gênero diferente,” disse Nolan, sobre os filmes estrelados por Christian Bale, como Batman. “Eles tendem a ser definido pelo vilão.”

Segundo Nolan, Batman Begins, de 2005, tinha uma história de origem simples. “O vilão (Liam Neeson como Henri Ducard) é um adversário adequado”, disse Nolan. “Ele é um mentor que virou inimigo.”

Em 2008 veio o segundo filme, com Heath Ledger interpretando um inesquecível Coringa. Batman: O Cavaleiro das Trevas, na minha opinião, sempre foi um drama de crime nos moldes de um filme de Michael Mann. O Coringa era um terrorista, um agente do caos”.

Em 2012, o encerramento aconteceu com Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge, co-estrelado por Tom Hardy. Nolan imaginou “um épico histórico”, enxergando  em Bane um “inimigo militarista”.

O diretor disse não ter imaginado uma franquia sobre o Batman, quando aceitou desenvolver os filmes para a Warner Bros. “Nós não tínhamos planejado fazer sequências”, disse Nolan. “Os gêneros tão inconstantes e a natureza dos antagonistas foram o caminho para levar o público a uma jornada e contar a eles algo diferente sobre Bruce Wayne.”

Sobre sua visão do personagem que é um ícone dos quadrinhos, Nolan admitiu enxergar os filmes como um thriller noir. “Sim, é (Batman) um super-herói, mas é baseado em ideias de culpa, medo, esses impulsos fortes que o personagem tem,” disse Nolan. “Bruce Wayne não tem super poderes além de uma extraordinária riqueza. Mas realmente, ele é apenas alguém que faz um monte de flexões. Nesse sentido, ele é muito compreensível e humano. Por esses motivos eu me inclinei em direção a isso.”‎

Questionado se o “Batman” da trilogia seria uma homenagem a James Bond, Nolan admitiu uma conexão. “Nós nos baseamos impiedosamente em filmes de James Bond para certos aspectos”,  dise Nolan.

Sobre o assunto, ele acrescentou ainda que a intenção era tornar o Batman tão atraente quanto o 007. Ele observou como Lucius Fox (Morgan Freeman), o inventor chefe de Gotham, se parece com o Agente Q dos filmes de James Bond. “Mas acho que se eu fiz a minha versão de James Bond, Inception (A Origem, de 2010)’ é muito mais culpado do que O Cavaleiro das Trevas, disse Nolan.

Léo Barreto

Carioca, apreciador de filmes e séries em tempo integral, quando o Bernardo (filho dele) deixa. Iniciou sua admiração pela sétima arte com os clássicos da sessão da tarde e se apaixonou pelo mundo das séries quando o Voo 815, da Oceanic, caiu misteriosamente em algum lugar no meio do nada...