Foo Fighters | Um histórico de afinidade com as câmeras

Dia 13 de Julho comemora-se o Dia Mundial do Rock e pensando nisso, o Quarta Parede resolveu homenagear a banda Foo Fighters. Liderada pelo carismático Dave Grohl, também conhecido como “o cara mais legal do rock”, além de possuir uma ótima discografia eles tem uma afinidade destacada com as câmeras e ao longo dos anos produziram vários videoclipes, com alguns deles se destacando bastante pela veia cômica. Além disso, foram lançados dois ótimos documentários, um deles em formato de série.

Origem e Formação

Antes de mais nada, um breve apanhado da história do Foo Fighters. A banda foi formada em 1994 por Dave Grohl, que também foi integrante e baterista do Nirvana. Para quem não se lembra, a lendária banda grunge acabou nesse mesmo ano, com a morte de Kurt Cobain. Dave cogitou largar a música, no entanto (e felizmente) não o fez. Ele decidiu gravar um álbum como se fosse uma banda e, tocando praticamente todos os instrumentos, nomeou o projeto de Foo Fighters. O nome se origina de fenômenos até hoje não explicados, ocorridos na Segunda Guerra Mundial, quando pilotos da infantaria aliada avistavam objetos não identificados. Acreditava-se inclusive que poderiam ser armas secretas dos alemães. Durante a guerra , qualquer aparição de Ovini era caracterizada pelo termo foo fighter.

foo-fighters-Londres

Após as gravações, Dave resolveu recrutar alguns músicos para tocar e divulgar as canções, entre eles o guitarrista Pat Smear, o baixista Nate Mendel e o baterista  William Goldsmith. Em 1997, o baterista que acompanhava Alanis Morrisete, Taylor Hawkins, assumiu as baquetas e permanece no grupo até hoje, tendo substituído Goldsmith por deficiência técnica. Outra saída ocorrida no mesmo ano foi de Pat Smear, que depois retornaria em 2006. Para substituí-lo, Franz Stahl foi convocado mas deixou a banda em 1999, quando Chris Shiflett assumiu o posto e permanece até hoje.

Desde 2006, a formação permanece a mesma: Dave Grohl (guitarra e vocais), Taylor Hawkins (bateria e backing-vocals), Nate Mendel (baixo), Pat Smear (guitarra), Chris Shiflett  (backing-vocals) e Rami Jaffee (teclado, piano e acordeon), sendo o último músico a integrar a banda neste mesmo ano.

back-and-forth-show

Álbuns

Com 9 álbuns de estúdio, entre eles um EP, uma coletânea e um disco ao vivo acústico, o Foo Fighters possui além de uma discografia vasta, alcançando assim o status de uma das grandes bandas do Rock Mundial, com um grande arsenal de hits como  “This Is a Call”, “Big Me”, “Everlong”, “Monckey Wrench”, “My Hero”, “Learn to Fly”, “Breakout”, “All My Life”, “Times Like These”, “Best of You”, “The Pretender”, “Walk”, entre outras.

Documentários

Back In Forth (2011)

foo-fighters-back-and-forth

Em 2011 o Foo Fighters lançou o documentário Back and Forth. Dirigido pelo premiado James Moll, o filme apresenta toda a trajetória da banda até então, incluindo as saídas e a escalada de sucesso do grupo, mostrando bons momentos e outros mais conturbados. As filmagens ocorreram durante as gravações do aclamado álbum Wasting Light, considerado por muitos o melhor do grupo, tendo liderado as paradas norte-americanas no mesmo ano. O premiado diretor, que já havia ganho um Oscar de Melhor Documentário por dirigir o Os Últimos Dias, produzido por Steven Spielberg, ganhou um Grammy em 2012 (melhor documentário), assim como o álbum Wasting Light (melhor álbum de rock).

 

 

 

Foo Fighters: Sonic Higways (2014)

Em 2013, Dave Grohl dirigiu o documentário Sound City, em sua estreia como diretor, sobre a história do estúdio de gravação Sound City Studios em Los Angeles, local aonde foi gravado o lendário álbum Nevermind, do Nirvana. Durante as gravações de Sonic Highways, em 2014, ano que marcou os 20 anos da banda, o músico produziu e dirigiu a minissérie documental Foo Fighters: Sonic Highways.

Foo-Fighters-Sonic-Highways-poster

Exibida pela HBO, cada um dos oito episódios explora a história da musica americana, em diferentes cidades, mostrando entrevistas, depoimentos e fatos narrados por Grohl. Em cada cidade, baseada na experiência obtida e em tudo que aprenderam, foi realizada a composição e gravação de uma nova música, que se tornaram as faixas do álbum Sonic Higways, exibidas em formato de videoclipes no final de cada capítulo, com a participação de músicos locais.

foo-fighters-sonic-highways-dave-grohl

As cidades visitadas, sempre em estúdios lendários foram: Chicago, Washington DC, Nashville, Austin, Los Angeles, New Orleans, Seattle e Nova Iorque. Cada episódio apresenta entrevistas com artistas que gravaram nos respectivos locais, além de contar a história de cada um deles ali e sua relação com as respectivas cidades. Entre eles estão Ian MacKaye do Minor Threat, Paul Stanley do Kiss, Joe Walsh do Eagles, Duff McKagan dos Guns N ‘Roses,Gary Clark Jr, entre outros.

https://youtu.be/zjhb6kEE3Fg

Videoclipes

A relação do Foo Fighters com as telas é antiga e outra característica marcante da banda são os videoclipes. Muitos deles trazem um humor peculiar como em “Learning to Fly” (que tem a participação de Jack Black), “Everlong” e “Long Road to Ruin”. Já outros como “The Pretender” e “Rope” possuem um tom mais sério. Fato é que os vídeos são legais e vale a pena assistir:

Learn to Fly – O mais engraçado

Long Road To Ruin – Pegada anos 70 e humor

Walk – Sarcasmo

The Pretender – Visceral

Rope – Meio retrô

Monkey Wrench – Anos 90

Big Me – Muita zoeira e Mentos

Everlong – Comédia tosca

Times Like These – Chroma key bem safado

These Days – Performances ao vivo

Breakout – Filme do Jim Carrey

Best Of You – Minimalista e explosivo

White Limo – Mais caseiro que Hermes e Renato

Something From Nothing e In The Clear – Clipes do Documentário Sonic Highways

Muitos poderão se perguntar o porquê da escolha do Foo Fighters para representar o gênero neste dia. Se observarmos, talvez seja a última grande banda de Rock N´Roll que surgiu e se mantém em atividade, que ainda arrasta multidões para estádios em plena atividade e se reinventando. Produções como Sonic Highways reforçam isso. Você pode até não gostar mas uma coisa é certa: eles contribuem bastante para manter a chama do Rock acesa.


Se você gostou dessa publicação, deixe sua opinião, comente e participe. Para acompanhar as publicações do Quarta Parede, siga as redes sociais do blog e receba notificações de novos posts!

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Léo Barreto

Carioca, apreciador de filmes e séries em tempo integral, quando o Bernardo (filho dele) deixa. Iniciou sua admiração pela sétima arte com os clássicos da sessão da tarde e se apaixonou pelo mundo das séries quando o Voo 815, da Oceanic, caiu misteriosamente em algum lugar no meio do nada...