As características que definem e consagram Westworld

A HBO é responsável por algumas das produções televisivas mais marcantes dos últimos tempos. Família Soprano, The Wire, Boardwalk Empire, Roma e Game of Thrones estão entre elas. Westworld, que chegou ao fim da segunda temporada no último domingo, começa a integrar este seleto grupo. Mas, por que a série criada por Jonathan Nolan e Lisa Joy merece um lugar nesse grupo tão seleto? A emissora destaca três pontos fundamentais para o sucesso de sua trama:

Westworld tem uma história intrigante

A série é inspirada no filme Westworld – Onde Ninguém Tem Alma de 1973, escrito e dirigido por Michael Crichton, um fascinante thriller filosófico. Com pequenas diferenças, a trama do longa e da série é essencialmente a mesma: um parque com atrações futurista controlado por alta tecnologia, onde androides de aparência humana, chamados “anfitriões”, permitem que os visitantes liberem os seus instintos e vivam qualquer tipo de aventura sem correr riscos.

O conceito central do drama é a inteligência artificial e até que ponto a humanidade está disposta a ir com ela. O tema polêmico ganhou um interesse especial nos últimos anos por conta dos avanços tecnológicos. Em Westworld o aspecto ético destes progressos é explorado a ponto de promover uma reflexão sobre os limites dos seres humanos.

Uma marca indiscutível de Westworld é que nada é o que parece. O elemento surpresa está sempre presente, gerando teorias sobre a guinada que a série dará em cada episódio. A produção desafia os telespectadores a procurarem respostas a partir de pequenas pistas que vão sendo dadas.

Westworld conta com personagens complexos e elenco de alto nível

Os anfitriões, os administradores dos parques e os visitantes de Westworld conduzem o público ao longo desta história complexa. Durante a primeira temporada, os androides evoluíram tanto que facilmente é possível esquecer que eles não são humanos.

A HBO conseguiu um efeito similar com Famíiia Soprano: o público sentiu empatia pelos vilões, aversão pelos heróis e ficou confuso sobre quem é bom e quem é mau – ao ponto de chegar à conclusão que ninguém pode ser engessado nessas categorias com personalidades tão profundas.

Os personagens de Westworld ganham vida graças à atuação magistral do elenco, que inclui estrelas do cinema jamais reunidas em uma mesma série de televisão, como Anthony Hopkins, Ed Harris, Evan Rachel Wood, James Marsden, Jeffrey Wright e Thandie Newton.

Westworld tem uma trilha sonora de arrasar

A produção musical de Westworld é de alto nível. A trilha sonora excepcional foi criada pelo compositor germano-iraniano Ramin Djawadi, responsável também pela musicalização de Game of Thrones e de filmes como Homem de Ferro, Fúria de Titãs, Círculo e Uma Dobra no Tempo.

Em Westworld, onde o mundo futurista e o velho oeste se misturam, Djawadi consegue fundir estes polos opostos por meio de músicas consagradas como Paint It Black (Rolling Stones), Seven Nation Army (The White Stripes) e Heart-Shaped Box (Nirvana), utilizando o piano como elemento unificador ou criando versões sinfônicas que dão grandeza a cada uma das cenas.

A produção reúne a qualidade e a originalidade que são sinônimos das superproduções da HBO, e que a levaram a ser reconhecida com 22 indicações ao Emmy. É por essas e outras razões que Westworld já tem lugar marcante na história das séries.

Carioca, apreciador de filmes e séries em tempo integral, quando o Bernardo (filho dele) deixa. Iniciou sua admiração pela sétima arte com os clássicos da sessão da tarde e se apaixonou pelo mundo das séries quando o Voo 815, da Oceanic, caiu misteriosamente em algum lugar no meio do nada...