Diretor de fotografia de ‘Batman vs Superman’ diz não entender críticos de cinema

O diretor de fotografia de Batman vs Superman, Larry Fong, desistiu de tentar entender os críticos de cinema. Em entrevista concedida ao  ComicBookDebate, ele falou sobre a recepção do público em relação ao filme, que dividiu opiniões. Confira:

Todo mundo tem sua opinião. Todo mundo tem que amar o filme? Claro que não…visualmente eu sinto que eu e minha tripulação o matamos, então quando você ouve coisas sobre isso, meio que dói. Para ser honesto, a coisa mais estranha…eu nunca falei sobre isso. Mas a coisa mais esquisita, e isso aconteceu muito, foi ver um estranho chegando e dizendo: ‘Batman v Superman’ realmente foi uma merda…mas não se preocupe, o que você fez foi ótimo. Parecia muito bom. Não foi sua culpa.

E eu escutei isso por um tempo e fiquei tipo ‘Ok, bem, obrigado’. Mas quanto mais eu pensava nisso, pensava que não aceitaria isso. Porque todo mundo está trabalhando para um objetivo comum, certo? E Zack é meu irmão, eu não vou ‘YEAH!’ você sabe, ‘Ele fez um trabalho horrível…mas eu não fiz! Acabei de fazer o meu trabalho! Está certo!’ Eu não aceito isso. Se você faz um bebê juntos, tem orgulho desse bebê. Você não pode dividir isso.

Eu não vou fingir que eu entendo mais [risos]. Porque eu não sei. Você sabe, críticos veem um filme…os filmes que eu gosto, ninguém parece gostar, e os filmes que eu não gosto, todo mundo gosta. Então, há uma desconexão para mim. Eu não posso nem fingir que entendo como tudo funciona.

Mesmo com toda repercussão negativa, Batman vs Superman arrecadou US$ 870 milhões em todo o mundo. Larry Fong já trabalhou com o diretor do filme,  Zack Snyder, em 300 (2006), Wacthmen (2009) e Sucker Punch (2011). Mesmo sendo um colaborador de longa data do diretor, Fong não retornou para Liga da Justiça, dando lugar a Fabian Wagner.

Os filmes do Universo Cinematográfico da DC costumam sofrer nas mãos da crítica especializada. Com exceção do elogiado Mulher-Maravilha (2017), O Homem de Aço (2013), Esquadrão Suicida (2016) e Liga da Justiça (2017) não agradaram os críticos, com recepções mistas por parte do público.

As palavras de Fong são importantes para acender um debate em torno do a percepção do público em relação ao filme. Quem pode  decidir se algo vale a pena, ou não, é o espectador. Críticos devem analisar o conjunto de uma obra, e o espectador deve fazer com que suas analises sejam instrumentos para compreensão e amplitude de ideias, e não um simples guia de consumo. O papel da crítica não é fazer com que o público goste ou não de um filme. A recepção é resultado de uma compreensão individual, e ninguém está certo ou errado sobre isso.

Larry Fong durante as gravações de “Batman vs Superman”

Carioca, apreciador de filmes e séries em tempo integral, quando o Bernardo (filho dele) deixa. Iniciou sua admiração pela sétima arte com os clássicos da sessão da tarde e se apaixonou pelo mundo das séries quando o Voo 815, da Oceanic, caiu misteriosamente em algum lugar no meio do nada...