Morgan Freeman se diz ‘devastado’ após acusações de assédio

Depois das acusações feitas por jornalistas e funcionárias de sua empresa de produção, Morgan Freeman defendeu-se das denúncias, afirmando que “não é certo comparar terríveis incidentes de abuso sexual com elogios exagerados ou humor.”

Na última quinta-feira, oito mulheres acusaram Freeman de assédio e comportamento inadequado, de acordo com uma reportagem da CNN . No total, 16 pessoas falaram sobre o caso, sendo oito vítimas e oito testemunhas.

Uma jovem assistente de produção que trabalhou em Despedida em Grande Estilo, comédia estrelada por Freeman, Michael Caine e Alan Arkin em 2017, alega que Freeman a submeteu a toques indesejados em suas costas e fez diversos comentários sobre sua aparência.

Em um dos casos, uma das mulheres relatou a insistência de Freeman em tocá-la: “ele continuou tentando levantar minha saia e perguntando se eu estava usando calcinha. Ele nunca levantou a saia com sucesso, ele a tocava e tentava levantá-la, eu me afastava, e então ele tentava novamente.”

A jornalista Chloe Melas, que é co-autora do artigo, descobriu que outras mulheres tinham histórias parecidas com a dela, iniciando o processo de investigação que durou meses, até que se apurassem os fatos.

Na última quinta-feira, Freeman havia emitido uma breve declaração:

“Quem me conhece ou já trabalhou comigo sabe que não sou alguém que iria ofender intencionalmente ou fazer alguém se sentir desconfortável conscientemente. Peço desculpas a quem se sentiu desconfortável ou desrespeitado — o que nunca foi minha intenção.”

Leia abaixo a segunda declaração emitida por Morgan Freeman, na última sexta-feira (25):

Estou devastado, pois 80 anos da minha vida estão em risco de serem prejudicados em um piscar de olhos, por relatos da imprensa na última quinta-feira.

Todas as vítimas de abuso e assédio merecem ser ouvidas. E nós precisamos ouvi-las. Mas não é correto comparar terríveis incidentes de abuso sexual com elogios exagerados ou humor.

Confesso que sou alguém que sente uma necessidade de tentar fazer as mulheres — e os homens — se sentirem apreciados e à vontade ao meu redor. Como parte disso, eu tentava frequentemente brincar com eles e elogiar as mulheres, no que eu pensei ser um jeito alegre e bem humorado.

Claramente, eu não estava atingindo o outro lado como eu pretendia. E é por isso que me desculpei quinta-feira, e vou continuar a pedir desculpas a quem possa ter chateado, no entanto, sem querer.

Mas eu também quero ser claro: Eu não criei ambientes de trabalho inseguros. Não agredi mulheres. Não ofereci emprego ou ascensão em troca de sexo. Qualquer alegação sobre isso é completamente falsa.

Morgan Freeman

Carioca, apreciador de filmes e séries em tempo integral, quando o Bernardo (filho dele) deixa. Iniciou sua admiração pela sétima arte com os clássicos da sessão da tarde e se apaixonou pelo mundo das séries quando o Voo 815, da Oceanic, caiu misteriosamente em algum lugar no meio do nada...