Crítica | ‘Tully’: um filme sensível e realista sobre a transformação feminina

Protagonizado pela ganhadora do Oscar, Charlize Theron, Tully é o mais novo longa de Jason Reitman (Juno). Extremamente bem feito, o filme promove uma visão realista e sensível sobre a maternidade, casamento e suas consequências. Com atuações afinadas e um roteiro bem elaborado, em uma hora e meia o longa entrega um puro sentimentalismo da melhor qualidade.

Marlo (Charlize Theron) é uma mãe de classe média de duas crianças. Grávida, a protagonista mora com seus filhos e o marido (Ron Livingston). Após dar à luz seu terceiro filho, Marlo se vê dentro de uma depressão pós parto e vive a exaustão de criar três crianças. Para agravar ainda mais a situação, Jonah (Asher Miles Fallica), seu filho do meio, é especial e necessita de atenção redobrada.

Em meio as mudanças corporais pós gravidez, a personagem se vê obrigada a contratar uma babá noturna, indicada pelo irmão Craig (Mark Duplass), para aliviá-la com as tarefas caseiras. Tully (Mackenzie Davis) chega com a missão de transformar a vida de todos da casa e estimular Marlo a ser uma mãe e uma mulher melhor.

Juno, lançado em 2007, foi um grande êxito na carreira de Jason Reitman. Além de ótimas críticas, o filme lhe rendeu indicações ao Oscar de melhor diretor e melhor filme. Em Tully, o êxito é repetido. Com produção da própria Charlize Theron, o longa possui uma narrativa vulnerável e realista, que poderá sensibilizar muitas pessoas.

O roteiro é de Diablo Cody (Juno), em sua quarta parceria com Reitman, o qual é muito bem escrito. A narrativa é bem apresentada e conduzida de maneira que facilita a identificação por parte do público. A direção também possui grande relevância para o sucesso do projeto. A história é transmitida de maneira crescente, acompanhando as fases da protagonista e levando o espectador a emocionar-se. A relação com a personagem é tão forte que acabamos partilhando do seu sofrimento e angústias.

A atuação é um dos pontos fortes da produção. Charlize Theron rouba a cena dando vida a Marlo. A atriz, que engordou para interpretar o papel, está fantástica. Theron é capaz de mostrar toda a vulnerabilidade e sensibilidade que a personagem necessita. As cenas de exaustão completa, onde ela mostra o corpo fora de forma pós gravidez, impressionam.

Mackenzie Davis, que interpreta Tully, é outra surpresa extremamente positiva. A jovem atriz canadense entrega uma atuação muito boa e consegue transmitir o peso emocional que a sua personagem carrega. Asher Milles Fallica, que interpreta Jonah, o filho especial, também está excelente. A criança é capaz de passar dramaticidade e intensidade na sua atuação, mesmo sendo tão novo.

A produção estreou no Festival de Sundance, em 2018, e teve uma ótima recepção pela crítica especializada. Não seria uma surpresa caso o mesmo aparecesse nas principais premiações do ano que vem. O filme é muito bom. Embora a história seja comum, a maneira como é apresentada torna a experiência cinematográfica extremamente prazerosa.

O longa aborda temas do cotidiano de uma forma crua e sem pudores. O que o torna especial. Embora seja uma comédia, há doses generosas de drama. Tully pode não ser original, mas é sensível e realista, e nos ensina sobre uma das virtudes mais importante da vida: a transformação.

 

 

Iron Ferreira

Carioca e Jornalista em formação. Admirador da comunicação e de suas linguagens. Acredita no cinema como ferramenta capaz de transmitir sentimentos, quebrar preconceitos e mudar o mundo.