Filmes que valem a pena | O Castelo de Vidro (2017)

Há vários anos, Hollywood foi agraciada com uma pérola chamada Brie Larson, que ganhou grande destaque em O Quarto de Jack. A cada nova obra, essa atriz prova que é uma profissional madura, resultado de sua carreira precoce, talentosa e que ainda tem muito o que oferecer.

Em agosto de 2017 foi lançado O Castelo de Vidro (The Glass Castle) um filme que adapta a obra autobiográfica de Jeannette Walls, contando uma história sensível que acompanha a personagem desde sua infância juntamente com seu pai, interpretado brilhantemente por Woody Harrelson, em uma das mais belas atuações de sua carreira.

Desde os tempos mais tenros, o núcleo familiar sempre foi muito unido, especialmente pela atitude do pai de família (Harrelson), que criou os filhos e cuidou da esposa (Naomi Watts) a partir de um estilo próprio, uma filosofia de vida a la “faça você mesmo”, o que acaba por flertar com um filme de narrativa parecida, Capitão Fantástico, de 2016.

Mas, diferente de Capitão Fantástico, esse filme se foca na relação da protagonista com o pai e sua forma de criação. Desde à inocência da filha, que sempre depositou suas esperanças em seu ‘herói’, esse sentimento sempre possuiu um tom agridoce em sua vida, pois, apesar de ela ser extremamente feliz e nutrir um grande amor pelo pai, essa relação sempre lhe trouxe cicatrizes, tanto físicas quanto psicológicas. Essas cicatrizes se refletem em sua fase adulta, quando vemos as atitudes da protagonista agindo na contramão dos ensinamentos deixados pelo pai.

Porém, nem mesmo esses sofrimentos e a ‘negligência’ realizada pelos pais acaba por destruir os laços entre essa família. Aproveitando-se de um elenco talentosíssimo e afiado, de um roteiro consciente, locações estratégicas e uma trilha sonora bem pensada, a direção de Castelo de Vidro é bastante feliz nessa empreitada.

O diretor Destin Daniel Cretton soube contar uma boa história. A narrativa mescla eventos do passado e do presente e esse é um dos aspectos mais acertados, pois dessa forma, trabalha o drama na medida certa – nada de melodramas exagerados -, o suspense e ainda alguns plots twists bem bacanas. Isso sem falar em um clímax emocionante e um desfecho bastante humano e realista, não apelativo.

Mas o que O Castelo de Vidro passa de uma maneira mais concreta é a mensagem de que apesar de não sermos perfeitos, o importante em família é o amor. E, quando se há amor, aproveitando-se do enredo do filme, ganha-se as estrelas.


Clique aqui e curta a Quarta Parede no Facebook

Jeziel Bueno

Cineasta independente e amante de filmes e séries. Nutre uma intensa paixão pela habilidade que só o ser humano tem de transmitir os aspectos de sua alma por meio da Arte...