Pantera Negra | Primeiras reações são extremamente positivas e destacam direção, elenco e representatividade

Foi realizada nesta segunda-feira (29) em Hollywood a premiere mundial de Pantera Negra. O filme chega aos cinemas norte-americanos em 16 de Fevereiro e os críticos que acompanharam a pré-estreia puderam dar as suas primeiras impressões sobre o longa dirigido por Ryan Coogler. Elas são extremamente positivas.

No geral, a crítica elogiou as atuações, o enredo, os figurinos, a direção de Coogler e a representação do avançado e tecnológico reino africano de Wakanda.  Os atores mais aclamados do grande elenco foram o protagonista Chadwick Boseman e o antagonista Michael B. Jordan, além de Lupita Nyong’o, Danai Gurira e Leticia Wright, muito citadas por todos.

Confira abaixo algumas dessas impressões:

Steven Weintraub, do Collider, afirma ter ficado impressionado com a história e a produção do filme. Para ele, Michael B. Jordan é o melhor vilão desde Loki e Dani Gurira “chuta bundas”. “Eu amei cada segundo“, afirmou o crítico que ainda prevê um sucesso de bilheteria.

David Ehrilch, do Indiewire, faz ressalvas quanto à ação do longa mas diz que Pantera Negra é como um filme da Marvel, mas melhor, com um real sentido de identidade, história e musicalidade. “Wakanda está viva. Todo o elenco é ótimo, mas as mulheres (e os rinocerontes guerra) roubam o show — Danai Gurira!“, twitou o crítico.

Para Frank Pallota, da CNN, Pantera Negra é uma das obras mais ambiciosas da Marvel. Ele enaltece Michael B. Jordan como Erik Killmonger, um vilão que está um nível acima do que conhecemos na Marvel. “Ele é dono de todas as cenas em que está“, diz o crítico.

Angie Han, da Mashable , disse em seu Twitter  que não queria que o filme acabasse. Ela descreve o longa desta forma: “Ação contínua, história inteligente, toneladas de personalidade. Shuri é minha nova favorita, Nike é tudo, Killmonger é incrível, T’Challa merece comandar o MCU. Coogler conseguiu de novo“.

Mike Ryan, do Uproxx, afirmou que o filme possui o caráter mais político de todos os filmes da Marvel. “Eu tinha que me lembrar que isto é um filme da Marvel. Pantera Negra é um filme com muito a dizer“, disse Ryan.

‘Peter Sciretta, do Slashfilm, destaca mais uma vez o tom político do filme: “Pantera Negra soa diferente de qualquer filme da Marvel até agora. Uma festa visual. Wakanda incrivelmente é representada, o antagonista na verdade tem um arco com motivações emocionais“.

Jane Yamato, do Los Angeles Times, destacou o forte senso de identidade presente no filme. Ela afirma que mesmo sendo o vilão, Michael B. Jordan a fez chorar. “Pantera Negra é incrível, cinético, proposital. Um filme de super-herói sobre por que a representatividade e identidade são  importantes, e quão trágico é quando essas coisas são negadas ao povo. O 1º filme MCU sobre algo real”, twitou Yamato.

Umberto Gonzalez, do The Wrap, afirma que o filme que eleva o gênero super-herói a um novo patamar. Para ele, é o melhor filme já feito pela Marvel, que também é a opinião de Nate Brail, do Heroic Hollywood. “Nada se compara a ele. Michael B. Jordan e Letitia Wright roubam a cena. O visual é incrível“.

Representatividade

Um dos grandes pontos positivos de Pantera Negra, desde sua concepção, foi o grande e talentoso elenco formado por atores negros. Abaixo, as reações dos críticos de cinema negros comprovam que a forma como isso é tratada no filme é algo louvável. Eles também destacam a habilidade do diretor em lidar com as questões de identidade.

Natasha Alford, editora do The Grio, disse que haverá uma geração de crianças crescendo vendo super-heróis que se parecem com elas. Tre’vell Anderson, do Los Angeles Times, disse que Pantera Negra é uma carta de amor sobre a negritude. ReBecca Theodore-Vachon, do RogerEbert.com, considera que Okoye (Leticia Wright) e Shuri (Danai Gurira) eram retratos importantes e necessários de mulheres negras não vistas em filmes de super-herói antes.

antera Negra estreia no Brasil em 15 de Fevereiro.


Clique aqui e curta a Quarta Parede no Facebook

Carioca, apreciador de filmes e séries em tempo integral, quando o Bernardo (filho dele) deixa. Iniciou sua admiração pela sétima arte com os clássicos da sessão da tarde e se apaixonou pelo mundo das séries quando o Voo 815, da Oceanic, caiu misteriosamente em algum lugar no meio do nada...