Terror ‘As Boas Maneiras’ é o grande vencedor do Festival do Rio

Foi realizado neste domingo (15), no CCLSR – Cine Odeon NET Claro, o evento de premiação da 19º edição do Festival do Rio. As mestres de cerimônia da noite foram Renata Boldrini e Suzana Pires.

As diretoras Ilda Santiago e Walkiria Barbosa subiram ao palco e agradeceram ao público, produtores, diretores e jurados. Em um vídeo, foram mostrados alguns dos momentos mais marcantes dos festival: o RioMarket, os show do “Rio, Pipoca e Biscoito”, as sessões gratuitas, galas, diretores estrangeiros que vieram prestigiar o evento, a Sinfônica da Petrobras em um concerto com músicas de Tim Burton.

Durante onze dias, foram exibidos 250 filmes, entre nacionais e estrangeiros. Longas que ainda irão estrear no Brasil em 2018 e que foram destaque nos festivais internacionais deste ano passaram pelas telas cariocas, como A Forma da Água, de Guilhermo Del Toro; Roda Gigante, de Woody Allen; Artista do Desastre, de James Franco; Me Chame Pelo seu Nome, de Luca Guadagnino; e Pequena Grande Vida, de Alexander Payne.

No cinema nacional, vários longas conquistaram a atenção da crítica e do público. O drama Aos Teus Olhos e o slasher movie O Animal Cordial deram a Daniel de Oliveira e Murilo Benício o prêmio de melhor ator.

No entanto, o grande vencedor da competição foi o longa As Boas Maneiras, de Juliana Rojas e Marco Dutra, que conquistou o prêmio de melhor longa-metragem de ficção, na principal mostra da competição, a Première Brasil. O longa ainda deu a Marjorie Estiano o prêmio de melhor atriz e foi premiado com a melhor fotografia. Além disso, o filme ainda faturou o Prêmio da Crítica FIPRESCI e o Prêmio Felix.

Marjorie Estiano e Isabél Zuaa em “As Boas Maneiras”

No longa, ​Clara (Isabél Zuaa) é uma enfermeira solitária da periferia de São Paulo, contratada pela rica e misteriosa Ana (Marjorie Estiano) como babá de seu futuro filho. Uma noite de lua cheia muda para sempre a vida das duas mulheres.​

Confira os vencedores do Festival do Rio 2017:

Première Brasil – ficção e documentário / longa e curta

JÚRI
presidido por Antônio Saura e composto por Caio Gullane, Heloísa Passos, Leandra Leal e Paz Encina

MELHOR LONGA-METRAGEM DE FICÇÃO – As Boas Maneiras, de Juliana Rojas, Marco Dutra. produzido por Sara Silveira, Maria Ionescu, Clément Duboin e Frédéric Corvez

MELHOR LONGA-METRAGEM DE DOC – Piripkura, de Mariana Oliva, Renata Terra, Bruno Jorge. produzido por Mariana Oliva

MELHOR CURTA-METRAGEM – Borá, de Angelo Defanti. produzido por Sara Silveira, Bárbara Defanti e Cristina Alves

Menção Honrosa curta-metragem – Roberta Gretchen Coppola, por Vaca Profana

MELHOR DIREÇÃO DE FICÇÃO – Lúcia Murat, por Praça Paris

MELHOR DIREÇÃO DE DOC – Tatiana Lohmann e Roberta Estrela D’Alva, por Slam: Voz de Levante

MELHOR ATRIZ – Grace Passô, por Praça Paris

MELHOR ATOR – Daniel de Oliveira, por Aos Teus Olhos e Murilo Benício por O Animal Cordial

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE – Marjorie Estiano, por As Boas Maneiras

MELHOR ATOR COADJUVANTE – Marco Rica, por Aos Teus Olhos

MELHOR FOTOGRAFIA – Rui Poças, por As Boas Maneiras

MELHOR MONTAGEM – Caroline Leone, por Alguma Coisa Assim

MELHOR ROTEIRO – Lucas Paraizo, por Aos Teus Olhos

PRÊMIO ESPECIAL DO JÚRI – Slam: Voz de Levante

NOVOS RUMOS
Júri composto por Allan Ribeiro, Bruna Linzmeyer e Bruno Safadi

MELHOR FILME – A parte do mundo que me pertence de Marcos Pimentel. produzido por Luana Melgaço

MELHOR CURTA – Atrito, de Diego Lima

PRÊMIO ESPECIAL DO JÚRI – Vende-seEsta Moto, de Marcus Faustini

VOTO POPULAR:

MELHOR LONGA FICÇÃO: Aos Teus Olhos, de Carolina Jabor. produzido por Carolina Jabor e Leonardo Monteiro de Barros

MELHOR LONGA DOCUMENTÁRIO: Dedo na Ferida, de Silvio Tendler. Produzido por SILVIO TENDLER

MELHOR CURTA: Vaca Profana, de René Guerra. produzido por Juliana Vicente

PRÊMIO DA CRÍTICA  FIPRESCI 
Júri composto por – Ana Rodrigues, Chico Fireman, Francisco Russo

Para : As Boas Maneiras, de Juliana Rojas e Marco Dutra

PRÊMIO FELIX

Júri composto por – Eduardo Graça, Isabel Penoni, João do Corujão

Melhor Longa Ficção: As Boas Maneiras, de Juliana Rojas e Marco Dutra. , produzido por Sara Silveira, Maria Ionescu, Clément Duboin e Frédéric Corvez

Melhor Longa Doc: Queercore: How to Punk a Revolution, de Yony Leyser. produzido por Thomas Janze

Melhor Curta: Sandra Chamando, de João Cândido Zacharias. produzido por Tatiana Leite

Premiação MOSTRA GERAÇÃO

Júri composto pela Professora Simone Monteiro,  pela mestre em educação e gerente de cultura do departamento nacional do SESC, Maria Costa Rodrigues e pelo produtor e cineasta Cavi Borges:

O Júri destacou duas menções honrosas:

Historietas assombradas, o filme, de Vitor-Hugo Borges

Altas expectativas, de Pedro Antonio Paes e Álvaro Campos

Prêmio de melhor Filme da Mostra Geração “Sobre Rodas”, de Mauro D’Addio. produzido por Beatriz Carvalho


Clique aqui e curta nossa página no Facebook

Carioca, apreciador de filmes e séries em tempo integral, quando o Bernardo (filho dele) deixa. Iniciou sua admiração pela sétima arte com os clássicos da sessão da tarde e se apaixonou pelo mundo das séries quando o Voo 815, da Oceanic, caiu misteriosamente em algum lugar no meio do nada...

Deixe seu comentário: