Até quando? Jennifer Lawrence, Meryl Streep e outros artistas falam sobre o caso Harvey Weinstein

Atualizado em 11/10/2017.

Na semana passada, uma reportagem do The New York Times expôs várias acusações de abusos sexuais envolvendo o produtor Harvey Weinstein. O executivo é acusado de manter uma reincidência de assédios com atrizes nas últimas décadas, além de assistentes e outras funcionárias. Oito mulheres teriam assumido serem vítimas de Weinstein.

Entre as vítimas estão a atriz Ashley Judd . Segundo a reportagem, há 20 anos, ela teve uma reunião com Weinstein em seu quarto de hotel, em Beverly Hills. Ele teria perguntado se ele poderia dar uma massagem ou se ela poderia vê-lo tomar banho.

As acusações de assédio, durante quase 30 anos trabalhando no cinema, fizeram com que o conselho da The Weinstein Company encerrasse as relações do estúdio com o seu próprio co-fundador. O produtor defendia o seu afastamento mas não o desligamento da empresa, que foi decidido em uma votação entre os membros do conselho, incluindo seu irmão, Bob Weinstein. 

O produtor que é casado desde 2007 com Georgina Chapman, fundadora da marca Marchesa, alegou ter buscado terapia para lidar com seu comportamento abusivo. Em uma declaração enviada à imprensa, Weinstein disse: “Eu admito que o jeito que me comportei com colegas no passado causou muita dor e peço sinceras desculpas por isso. Embora eu esteja tentando melhorar, eu sei que tenho um longo caminho a percorrer”.

Em 2005, Harvey fundou a The Weinstein Company com seu irmão Bob. Antes disso, desde o início dos anos 80, eles estiveram à frente da Miramax, emplacando produções no Oscar, como Meu Pé Esquerdo (1989)O Piano (1993)Pulp Fiction (1994)O Paciente Inglês (1996)Gênio Indomável (1997) Shakespeare Apaixonado (1998). Frente à nova companhia, filmes como O Discurso do Rei (2010), O Lado Bom da Vida (2012), Django Livre (2012), O Jogo da Imitação (2014) e Lion (2016) estão entre os destaques de crítica e bilheteria.

Como produtor, Harvey Weinstein alavancou a carreira de grandes artistas como Quentin Tarantino

Veja o que disseram algumas atrizes

Na segunda-feira de manhã, Meryl Streep emitiu uma declaração sobre o caso. “A notícia vergonhosa sobre Harvey Weinstein chocou aqueles de nós cujo trabalho ele promoveu e aqueles cujas causas boas e dignas ele apoiou”, disse Streep. “As mulheres intrépidas que levantaram a voz para expor esse abuso são nossas heroínas”.

Kate Winslet também se posicionou sobre o ocorrido: “O fato de que essas mulheres estão começando a falar sobre a má conduta de um dos nossos produtores de filmes mais importantes é incrivelmente corajoso e tem sido profundamente chocante ao ouvir. Eu esperava que esse tipo de histórias fossem apenas rumores, talvez todos fomos ingênuos. E isso me deixa tão chateada. Não deve haver “tolerância” a este tratamento degradante e vil das mulheres em qualquer local de trabalho em qualquer lugar do mundo “.

No twitter, Jessica Chastain foi mais incisiva em relação ao produtor. “Eu fui avisada desde o início. As histórias estavam em toda parte. Negar isso é criar um ambiente para que volte a acontecer”.

Glenn Close admitiu ter ouvido rumores ao longo de muitos anos sobre a conduta do produtor, mesmo admitindo que seu comportamento com ela sempre tenha sido respeitoso. “Estou com raiva, não apenas com ele e com a conspiração de silêncio em torno de suas ações”, disse a experiente atriz que classificou como horrível a pressão e a expectativa colocada sobre uma mulher quando um agressor poderoso, egoísta e intitulado espera favores sexuais em troca de um emprego.

Apadrinhada por Weisntein por quase 20 anos, Judi Dench também admitiu estar horrorizada com o caso: “Eu nunca soube de nenhum desses abusos que me deixaram, é claro, horrorizada. Eu ofereço minhas simpatias àquelas que sofreram, e meu apoio àquelas que o denunciaram”.

Outra vencedora do Oscar a se pronunciar, Cate Blanchett falou sobre a coragem das mulheres em se pronunciarem. “Qualquer homem em uma posição de poder ou autoridade, que pensa que é sua prerrogativa de ameaçar, intimidar ou agredir sexualmente qualquer mulher que ele encontra ou trabalha precisa ser chamado para prestar contas. Nunca é fácil para uma mulher se expor em tais situações e eu sinceramente apoio aquelas fazem isso “, disse Blanchett.

Jennifer Lawrence disse que nunca testemunhou nenhum comportamento inadequado de Harvey Weinstein mas reforçou o coro feminino: “Fiquei profundamente perturbada ao ouvir as notícias sobre o comportamento de Harvey Weinstein. Trabalhei com ele há cinco anos e não experimentei qualquer tipo de assédio pessoalmente, nem sabia sobre nenhuma dessas alegações. Esse tipo de abuso é indesculpável e absolutamente perturbador “. Ela acrescentou: “Meu coração se dirige a todas as mulheres afetadas por essas ações grosseiras. E eu quero agradecê-las por sua bravura para se apresentar “.

Harvey Weinstein e Jennifer Lawrence no Oscar 2013

Homens também se posicionam

Atores, diretores e produtores da indústria também levantaram voz no Twitter para expressar o descontentamento pelo comportamento de Weinstein. “Ele financiou os primeiros 14 anos da minha carreira – e agora sei que enquanto eu estava lucrando, outros estavam sentindo uma dor terrível”, tuitou o diretor Kevin Smith . “Isso me faz sentir envergonhado”.

O produtor e diretor Judd Apatow classificou as atitudes de Weinstein como “abomináveis”. Mark Ruffalo foi além e acrescentou: “O que Harvey Weinstein fez foi um abuso de poder nojento e horrível. Espero que agora vejamos o começo do fim desses abusos.”

Ao The Daily Best, George Clooney admitiu ter ficado surpreso com o comportamento de Weisntein, afirmando não haver defesa para o que ele fez. “É indefensável . Essa é a única palavra com a qual você pode começar. Harvey admitiu e é indefensável. Conheço Harvey por 20 anos. Ele me deu minha primeira grande chance como ator em Um Drink no Inferno e minha primeira grande chance como diretor com Confissões de uma Mente Perigosa. Tivemos jantares, estivemos juntos, tivemos conversas. Mas posso dizer-lhe que nunca vi nenhum desses comportamentos – nunca”.

Leonardo DiCaprio também emitiu sua opinião sobre o caso. “Não há desculpas para assédio sexual ou agressão sexual – não importa quem você é e não importa qual a profissão. Eu aplaudo a força e coragem das mulheres que vieram e fizeram suas vozes serem ouvidas.”

Apenas um reflexo

Não adianta acharmos, porém, que o problema está em uma figura como Weisntein ou nos grandes nomes da indústria que exercem grande influência. Eles são apenas um reflexo de nossa sociedade e é imperativa uma mudança de cultura. Desta forma, rumores não serão apenas rumores e quem sabe possamos tratar o assunto com a seriedade e o respeito que todas as mulheres merecem.


Clique aqui e curta nossa página no Facebook

Carioca, apreciador de filmes e séries em tempo integral, quando o Bernardo (filho dele) deixa. Iniciou sua admiração pela sétima arte com os clássicos da sessão da tarde e se apaixonou pelo mundo das séries quando o Voo 815, da Oceanic, caiu misteriosamente em algum lugar no meio do nada...

2 thoughts on “Até quando? Jennifer Lawrence, Meryl Streep e outros artistas falam sobre o caso Harvey Weinstein

Deixe seu comentário: