Lista | 45 filmes para assistir no Festival do Rio!

A 19ª edição do Festival do Rio começa nesta quinta-feira (5), reunindo filmes que se destacaram nos principais festivais estrangeiros deste ano como Berlim, Veneza, Cannes e Toronto. O filme que dará o pontapé inicial aos onze dias de maratona será o premiado A Forma da Água, de Guilhermo del Toro, vencedor do Leão de Ouro em Veneza.

Dentre os 250 títulos que serão exibidos na mostra, há ainda obras muitos aguardadas como 120 Batimentos por Minuto, de Robin Campillo, representante da França no Oscar e Grande Prêmio do Júri em Cannes; Corpo e Alma, da húngara Ildikó Enyedi, filme vencedor do Urso de Ouro em Berlim; o elogiado Me Chame Pelo Seu Nome (Call Me by Your Name), de Luca Guadagnino, que foi um dos destaques do Festival de Toronto; e Roda Gigante, de Woody Allen, responsável por encerrar o festival.

Filmes de cineastas consagrados também farão parte da seleção. Based on a True Story, de Roman Polanski, Detroit em Rebelião, de Kathryn Bigelow e A Entrevista de Putin, de Oliver Stone, figuram entre as produções dirigidas por ganhadores do Oscar.

“A Forma da Água”, de Guilhermo del Toro, abre o Festival do Rio no dia 05

O festival irá reunir diversas mostras, como a Première Brasil, Première Latina, Exepectativa 2017 e Panorama do Cinema Mundial. Pelo quarto ano, o Prêmio Felix vai eleger o melhor filme de temática LGBTQ de uma seleção de 32 longas e 4 curtas.

Cinema nacional marca presença

Na Première Brasil, irão estrear alguns dos títulos nacionais mais aguardados do ano. Serão 52 filmes, entre curtas, longas, documentários, ficções e animações, que serão exibidos na Competição Oficial, e também nas mostras Novos Rumos, Retratos e Hors Concours. Além disso, a presença nacional se fará presente nas outras mostras do Festival do Rio, com mais 24 títulos se espalhando por toda a programação.

Os filmes das mostras competitivas concorrem ao Troféu Redentor, eleito por voto popular (melhores longa-metragem e curta-metragem) e pelo júri oficial, composto por expoentes da cinematografia nacional e internacional. Já o Prêmio Petrobras de Cinema será oferecido pela empresa para a distribuição comercial do melhor filme de ficção da competição da Première Brasil, e melhor filme da mostra Première Brasil Novos Rumos, escolhidos pelos júris oficiais.

“O Animal Cordial”, de Gabriela Amaral de Almeida

Confira abaixo uma lista com 45 filmes para entrar no seu radar durante o Festival do Rio:

120 Batimentos por Minuto (120 battements par minute, de Robin Campillo)

Início dos anos 1990. Com a epidemia da AIDS já tendo levado inúmeras vidas na última década, o grupo ativista Act Up-Paris potencializa suas formas de ação a fim de lutar contra a indiferença geral. Nathan, um novato no grupo, tem seu mundo abalado por Sean, um militante radical. Um magnífico tributo a um momento de altruísmo e ação social, quando a comunidade gay se juntou para lutar contra o estado, a indústria farmacêutica e a indiferença da sociedade. Vencedor do Grande Prêmio do Júri e do prêmio FIPRESCI no Festival de Cannes 2017.​


Açucar, de Renata Pinheiro e Sérgio Oliveira

Bethânia retorna a suas terras, onde uma vez funcionou o antigo engenho de açúcar de sua família, o Engenho Wanderley. Entre fotos, criaturas fantásticas, contas a pagar e trabalhadores reivindicando seus direitos sobre a terra, Bethânia enfrenta a si mesma em um presente onde o passado e o futuro são ameaçadores.​


Artista do desastre (The Disaster Artist, de James Franco)

A verdadeira história por trás da produção de The Room, um clássico cult chamado de “o Cidadão Kane dos filmes ruins”. Desde seu lançamento em 2003, o filme vem cativando o público no circuito midnight com sua história desconjuntada, atuações dissonantes e diálogos inexplicáveis. Cada faceta do filme impressiona, assim como a misteriosa e magnética performance de seu criador e protagonista, Tommy Wiseau. Este filme reconta a produção a partir das lembranças de Greg Sestero, amigo de Wiseau e co-estrela relutante do longa. Dirigido e estrelado por James Franco. SXSW e Toronto 2017.


As entrevistas de Putin (The Putin Interviews, de Oliver Stone)

O cineasta Oliver Stone teve acesso sem precedentes ao presidente russo Vladimir Putin em mais de uma dúzia de entrevistas no espaço de dois anos, onde nenhum assunto era proibido. Esta impressionante série documental em quatro episódios fornece uma visão íntima da vida pessoal e profissional de Putin, de sua infância sob o regime comunista até sua ascensão ao poder, seu relacionamento com presidentes dos EUA e suas surpreendentes opiniões sobre a relação entre EUA e Rússia nos dias de hoje. Este é o retrato mais detalhado de Putin já concedido ao ocidente.​


A Ciambra, de Jonas Carpignano

Em A Ciambra, uma pequena comunidade romana na Calábria, Pio Amato não vê a hora de virar adulto. Aos 14 anos, ele já bebe, fuma e é um dos poucos a circular com facilidade entre os grupos da região: os italianos locais, os refugiados africanos e o grupo de ciganos Romani. Pio tem como referência seu irmão mais velho Cosimo, com quem aprende como se virar nas ruas de sua cidade natal. Quando Cosimo desaparece, Pio vê uma oportunidade para provar sua maturidade, mas logo se encontra diante de uma decisão que colocará tudo à prova. Premiado na Quinzena dos Realizadores de Cannes 2017.​


A Guerra dos Sexos (Battle of the Sexes, de Jonathan Dayton e Valerie Faris)

A história real da partida de tênis entre Billie Jean King e Bobby Riggs, em 1973. Em sua vida profissional, King é campeã e uma feminista declarada. Mas na vida privada enfrenta desafios: seu casamento está por um fio e sua sexualidade no armário se torna uma distração. Indignada com o fato de a Liga Nacional de Tênis não permitir a paridade salarial entre homens e mulheres, ela aceita o desafio de 100 mil dólares proposto por Riggs, um antigo campeão que enfrenta problemas financeiros. Com Emma Stone e Steve Carell, dos diretores de Pequena Miss Sunshine. Toronto 2017.​


Based on a True Story (D’après une histoire vraie, de Roman Polansky)

Delphine escreveu um romance muito pessoal dedicado à sua mãe, que virou um best-seller. Exaurida e fragilizada por suas lembranças, ela é atormentada por cartas anônimas que a acusam de jogar sua família aos leões. Até que Elle, uma jovem charmosa, inteligente e intuitiva, cruza seu caminho. Delphine se aproxima de Elle, confia e se abre para ela. Até onde Elle irá após se mudar para o apartamento da escritora? Ela chegou para preencher ou para criar um vazio? Para lhe dar novos ímpetos ou para roubar sua vida? Do mestre Roman Polanski. Exibido no Festival de Cannes 2017.​


Bom comportamento (Good Time, de Josh Safdie, Ben Safdie)

Após um malsucedido assalto a banco, Constantine Nikas vê seu irmão mais novo ser preso e embarca em uma odisseia no submundo da cidade em que vive, numa tentativa cada vez mais desesperada – e perigosa – de tirar seu irmão da prisão. Ao longo de uma noite repleta de adrenalina, Constantine mergulha em uma onda de violência e caos enquanto corre contra o relógio para salvar seu irmão e ele mesmo, sabendo que suas vidas estão por um fio. Com Robert Pattinson (Crepúsculo, Cosmópolis). Exibido na competição oficial do Festival de Cannes 2017.​


Borg vs McEnroe, de Janus Metz

Wimbledon, 1980. O verão mais chuvoso em décadas. O mundo está esperando para ver o número 1 dos jogadores de tênis do mundo, Björn Borg, conquistar seu quinto título em Wimbledon. Mas poucos sabem o drama dos bastidores: aos 24 anos, Borg está perto do fim, cansado, desgastado e atormentado pela ansiedade. Enquanto isso, seu rival John McEnroe, de 20 anos, está decidido a tomar o lugar no trono de Wimbledon de seu antigo herói. Uma história sobre dois homens que mudaram a cara do tênis e se tornaram lendas, e o preço que tiveram que pagar por isso. Com Shia LaBeouf. Toronto 2017.​


A câmera de Claire (Keul-le-eo-ui ka-me-la, de Hong Sang-soo)

Durante uma viagem de negócios ao Festival de Cannes, Manhee é demitida, enquanto a professora Claire caminha pela cidade tirando fotos com sua câmera Polaroid. As duas se conhecem e logo ficam amigas. Claire consegue tanto desvendar o passado quanto prever um possível futuro para Manhee, com a ajuda de um misterioso túnel na praia. Através de seu hábito de tirar fotos, Claire também adquiriu a habilidade de olhar lentamente para as coisas, e até de transformar objetos. Agora, Claire vai com Manhee ao café onde ela foi demitida. De Hong Sang-soo, com Isabelle Hupert. Cannes 2017.​


Cartas Para Um Ladrão de Livros, de Carlos Juliano Barros e Caio Cavechini

Laéssio Rodrigues de Oliveira é considerado pelas autoridades o maior ladrão de livros raros do Brasil. Não é uma trajetória comum a do jovem balconista de padaria, obcecado por papéis antigos, que passa a frequentar altas rodas de colecionadores de arte e, depois, os cadernos policiais. Mas a decisão de contar essa história gera dilemas para os quais nem Laéssio nem o próprio documentário estavam preparados. Ainda que por caminhos tortos, Laéssio evidencia a necessidade de o Brasil cuidar de sua própria história.​


Corpo e Alma (Testről és lélekről, de Ildikó Enyedi)

​Maria trabalha há pouco tempo em um abatedouro, onde é responsável pelo controle de qualidade. No almoço na cantina, a jovem sempre escolhe uma mesa isolada onde fica em silêncio. Ela leva seu trabalho a sério e segue estritamente as regras. Seu chefe Endre é pouco mais velho que ela e também é do tipo silencioso. Aos poucos, eles começam a se conhecer, reconhecer seu parentesco espiritual, e ficam impressionados ao descobrir que têm os mesmos sonhos durante a noite. Com cuidado, eles tentam torná-los realidade. Vencedor do Urso de Ouro no Festival de Berlim 2017.​


Crown Heights, de Matt Ruskin

Em 10 de abril de 1980, um tiro ecoou pelas ruas de Crown Heights, no Brooklyn, dando início a uma batalha por justiça que duraria uma década. Colin Warner é preso por um crime que não cometeu, vítima de um sistema corrompido que se recusa a escutar a verdade. Em seu julgamento, a corte o condena às pressas. Mas quando Colin está prestes a perder as esperanças, seu melhor amigo, Carl King, decide dedicar a vida a colocá-lo de volta em liberdade, dando início a uma investigação pessoal que duraria anos. Baseado em uma história real. Vencedor do prêmio do público em Sundance 2017.


Depois Daquela Montanha (The Mountain Between Us, de Hany Abu-Assad)

A fotojornalista Alex e o cirurgião Ben não se conhecem, mas têm pelo menos uma coisa em comum: ambos precisam voltar para Baltimore. Ela vai se casar no dia seguinte, ele tem uma cirurgia de emergência para realizar. Quando seu voo de volta é cancelado, os dois contratam um avião charter, mas as coisas dão tragicamente errado após a decolagem. Isolados no topo de uma montanha coberta de neve e sem esperança de resgate, Alex e Ben devem trabalhar juntos se quiserem sair vivos dessa. Com Kate Winslet e Idris Elba, do mesmo diretor de Paradise Now. Festival de Toronto 2017.​


Detroit em rebelião (Detroit, de Kathryn Bigelow)

​No verão de 1967, os EUA enfrentavam uma profunda inquietação social, com a Guerra do Vietnã e um número cada vez maior de casos de repressão racial. Durante os protestos em Detroit, a polícia local é chamada para investigar uma denúncia de tiros no Motel Algiers. Ignorando a lei, os policiais interrogam e torturam um grupo de afro-americanos, em um jogo mortal de intimidação. Ao fim da noite, três homens desarmados foram mortos e outros ficaram gravemente feridos. Baseado em uma chocante história real. Da diretora Kathryn Bigelow (Guerra ao terror, A hora mais escura).​


Doentes de Amor (The Big Sick, de Michael Showalter)

Kumail, filho de uma família paquistanesa, conhece a americana Emily. À medida que se apaixonam, os dois precisam conciliar culturas distantes e atender as expectativas da família dele. Enquanto seus pais arranjam encontros com possíveis noivas para um casamento arranjado, Kumail esconde seu relacionamento real. Mas quando Emily contrai uma doença misteriosa, ele deve contornar a crise com seus pais e o conflito emocional entre sua família e seu coração. Produzido por Judd Apatow, o mesmo de Superbad. Baseado na história real dos roteiristas do filme. Sundance e SXSW 2017.​


Ensiriados (Insyriated, de Philippe Van Leeuw)

​Oum Yazan trabalha duro para manter o bem estar da sua vida familiar em meio à fúria da guerra síria. Todos os dias a família se reúne em volta da mesa de jantar e tenta se fazer ouvir em meio a barulhos de bombas e metralhadoras. A água é escassa, e pôr os pés para fora de casa é arriscado demais. Enquanto o avô brinca com o neto, a filha mais velha flerta com o namorado em seu quarto. Quem está batendo na porta? Será o marido de Oum, cujo retorno ela aguarda ansiosamente, ou há homens lá fora à procura de objetos de valor? Melhor direção e prêmio do público em Berlim 2017.


Em Pedaços ( Aus dem Nichts, de Fatih Akin)

A vida de Katja entra em colapso depois que um atentado a bomba mata seu marido e filho. Após o período de luto, é chegado o tempo da vingança. Em seu mais novo filme, o cineasta alemão Fatih Akin (o mesmo de Contra a parede e Do outro lado) faz uma reflexão pessoal sobre os conflitos do nosso tempo, o radicalismo da sociedade, as tentativas de assassinato de inocentes e, sobretudo, do amor incondicional de uma mulher por sua família. Vencedor do prêmio de melhor atriz para Diane Kruger (Bastardos inglórios) no Festival de Cannes 2017.​


Hannah, de Andrea Pallaoro

Hannah é mãe e avó, e seu marido está na prisão. Ela presta serviços domésticos para uma família rica e, nas horas vagas, frequenta aulas em um grupo de teatro. Um certo ar aristocrático, no entanto, nos diz que o trabalho de Hannah não condiz com sua realidade, sobretudo quando conhecemos a condição social de seu filho. Através de um sentimento de identidade fraturado, o filme investiga a alienação moderna, a luta pela conexão e as linhas divisórias entre a identidade individual, as relações pessoais e as pressões sociais. Melhor atriz em Veneza 2017 para Charlotte Rampling.​


The Florida Project, de Sean Baker

Halley e sua filha Moonee, de seis anos, vivem em um motel barato à beira de uma rodovia na cidade de Orlando. Enquanto a mãe vive entre um trabalho mal pago e uma vida caótica, Moonee e suas amigas do motel ao lado passam os dias explorando prédios abandonados, tomando sorvete e pregando peças nos funcionários do motel – tendo como alvo especial o sempre paciente Bobby. Quando a vida lhes dá mais uma rasteira, o amor incondicional de Moonee por sua mãe irá definir seu futuro incerto. Do mesmo diretor de Tangerina, com Willem Dafoe. Exibido na Quinzena dos Realizadores de Cannes 2017.​


O formidável (Le Redoutable, de Michel Hazanavicius)

Paris, 1967. Jean-Luc Godard, o cineasta mais promissor de sua geração, está em meio às filmagens de A chinesa, filme protagonizado pela mulher que ama, Anne Wiazemsky, 20 anos mais nova. Felizes, apaixonados e sedutores, eles se casam, mas a recepção do filme em seu lançamento desencadeia em Godard profundos questionamentos. Os eventos de maio de 1968 ampliarão ainda mais o processo do cineasta, transformando-o em um diretor tanto incompreendido quanto incompreensível. Do diretor Michel Hazanavicius, o mesmo de O artista, com Louis Garrel no papel principal. Festival de Cannes 2017.​


Golden Exits, Alex Ross Perry

Nick leva uma vida previsível no Brooklyn, trabalhando como arquivista em um projeto de seu sogro. Até que a jovem Naomi, de 20 anos, chega da Austrália para ajudá-lo através de um programa de intercâmbio. Ela não conhece quase ninguém na cidade, exceto por Buddy, um primo distante que trabalha como produtor musical e vive no mesmo bairro. Durante os poucos meses que Naomi passa com Nick, Buddy e suas famílias, ela irá desequilibrar a rotina destes dois lares. Do diretor Alex Ross Perry (Cala a boca Philip, Rainha do mundo). Exibido no Sundance Film Festival e no Festival de Berlim 2017.​


Iran, de Walter Carvalho

Um registro do processo de imersão e preparação do ator Irandhir Santos na construção de um personagem.​


Last Flag Flying, de Richard Linklater

Trinta anos depois de servirem juntos durante a Guerra do Vietnã, Doc e seus colegas veteranos têm uma nova missão: enterrar o filho de Doc, um fuzileiro da marinha americana morto na Guerra do Iraque. Doc decide abandonar o enterro no Cemitério de Arlington, no Texas, e, com a ajuda de seus velhos amigos, conduz o caixão em uma viagem reflexiva até sua casa na Costa Leste, no subúrbio de New Hampshire. Um roadmovie sobre amizade e as inexoráveis feridas deixadas pela guerra. Baseado no romance de Darryl Ponicsan, o filme é uma continuação de A última missão, de Hal Ashby. Dirigido por Richard Linklater, com Steve Carell e Bryan Cranston.


Logan Lucky – Roubo em família (Logan Lucky, de Steven Soderbergh)

Os irmãos Jimmy e Clyde Logan acreditam que sua família sofre de uma terrível maldição, que justifica um azar financeiro que vem se estendendo por gerações. A fim de tentar reverter essa condição, eles decidem executar um ambicioso assalto durante uma corrida de automóveis da NASCAR, o maior campeonato de stock car dos Estados Unidos. No entanto, nem tudo sairá como o previsto. Em seu mais novo filme, o diretor Steven Soderbergh retoma a parceria com o astro Channing Tatum (Magic Mike, Terapia de risco) e conta ainda com o ator Adam Driver (Star Wars: Episódio VII – O despertar da força).​


Manifesto, de Julian Rosefeldt

Uma mãe faz sua oração antes da refeição enquanto a família espera impaciente. “Eu sou por uma arte que faz algo além de sentar a bunda em um museu”, diz ela. As palavras são da artista visual Claes Oldenburg e estão em um manifesto escrito em 1961. Aqui, elas são interpretadas por Cate Blanchett em um dos seus 13 papéis, todos eles baseados em declarações de mais de 50 artistas e pensadores do século XX. Derivado da videoinstalação do artista Julian Rosenfeldt, este filme é um tour de force espirituoso sobre o quão atemporais são as ideias visionárias. Sundance e Roterdã 2017.​


Marjorie Prime, de Michael Almereyda

Em um futuro próximo, a inteligência artificial faz parte de nossa rotina. Marjorie, uma senhora de 86 anos com muitos problemas de memória, vive com um belo companheiro que tem as feições de seu falecido marido, e que veio programado para alimentá-la com lembranças de sua vida a dois. Mas quanto mais os dois interagem, mais crescem as divergências das memórias de cada um, resultando em uma nova chance para se reconstruir um passado doloroso. Com Jon Hamm, Geena Davis e Tim Robbins. Exibido no Sundance Film Festival e no Festival de Roterdã, 2017.​


Maudie, de Aisling Walsh

Maud, uma mulher inteligente e de olhos brilhantes, tem as mãos curvadas, resultado de uma artrite reumatoide juvenil. Everett é um solteiro convicto de 40 anos. Abandonado pelos pais ainda jovem, ele hoje tem tudo o que precisa, exceto alguém para limpar a casa e cozinhar. Everett publica um anúncio e Maud logo se candidata à vaga. Ao ver sua aparência frágil, ele desconfia de sua capacidade, mas decide contratá-la. Em pouco tempo, Maud se torna indispensável em sua vida. A história real da artista visual Maud Lewis e seu improvável romance com o solitário Everett Lewis. Berlim 2017.​


Me chame pelo seu nome (Call Me by Your Name, de Luca Guadagnino)

Verão de 1983, norte da Itália. Elio Perlman, um jovem ítalo-americano de 17 anos, passa seus dias na vila de sua família, um antigo casarão do século XVII. Seus dias são repletos de composições ao piano e flertes com sua amiga Marzia. Um dia, Oliver, um charmoso homem de 24 anos, chega para ajudar o pai de Elio em sua pesquisa sobre cultura greco-romana. Sob o sol do verão italiano, Elio e Oliver descobrem a beleza do despertar de novos desejos que irão mudar as suas vidas para sempre. Exibido no Sundance Film Festival e na mostra Panorama do Festival de Berlim, 2017.​


Novitiate, de Maggie Betts

No início da década de 1960, à altura do Concílio Vaticano II, a jovem Cathleen decide se tornar freira, para espanto de sua mãe agnóstica. No convento, ela se vê em um ambiente dominado pela devoção e pelas estritas regras da madre superiora. Uma história de amadurecimento tendo como pano de fundo as radicais mudanças da igreja católica à época, o filme retrata um grupo de mulheres e suas autodescobertas de fé e de paixão para além da religião. Com Melissa Leo. Vencedor do prêmio especial do júri no Sundance Film Festival e exibido no Festival de Toronto 2017.​


O Animal Cordial, de Gabriela Amaral Almeida

Um restaurante de classe média em São Paulo é invadido, no fim do expediente, por dois ladrões armados. O dono do estabelecimento, o cozinheiro, uma garçonete e três clientes são rendidos. Entre a cruz e a espada, Inácio – o homem pacato, o chefe amistoso e cordial – precisa agir para defender seu restaurante e seus clientes dos assaltantes.​


O Estado das Coisas (Brad´s Status, de Mike White)

Brad Sloan tem um emprego estável, uma casa confortável em Sacramento, uma esposa amorosa e um filho talentoso, com quem vai visitar possíveis universidades. Mas Brad não consegue parar de se comparar com antigos companheiros que encontraram riqueza e fama trabalhando no mercado financeiro, em filmes de Hollywood ou no mundo da política. Brad deveria centrar suas forças em ajudar o filho em sua transição para o mundo do ensino superior, mas só consegue pensar em se exibir com aquilo que nem tem ou ansiar pela aprovação de seus velhos amigos. Uma comédia com Ben Stiller. Toronto 2017.​


Os Meyerowitz: Família Não se Escolhe (Histórias Novas e Selecionadas), de Noah Baumbach

Do roteirista e diretor Noah Baumbach (A lula e a baleia, Frances Ha), Os Meyerowitz: Família não se escolhe (histórias novas e selecionadas) é a emocionante e cômica história do embate de gerações entre três irmãos adultos (Adam Sandler, Ben Stiller e Elizabeth Marvel) tendo que lidar com a enorme sombra que seu energético pai (Dustin Hoffman) lança sobre suas vidas. Com um roteiro original escrito por Baumbach, o filme conta ainda com Emma Thompson, Grace Van Patten, Adam Driver, Candice Bergen, Judd Hirsch e Rebecca Miller no elenco. Seleção Oficial do Festival de Cannes 2017.


Pequena grande vida (Downsizing, de Alexander Payne)

​A fim de solucionar o problema da superpopulação, um grupo de cientistas noruegueses inventa uma maneira de encolher os humanos a uma altura de 13 centímetros, em uma proposta de transição da humanidade que vai durar 200 anos para transformar tudo que é grande em pequeno. Frente à promessa de uma vida melhor, Paul Safranek e sua esposa Audrey, um casal comum, decidem abandonar sua vida estressante em Omaha, passar pelo procedimento e viver em uma comunidade em miniatura – uma decisão que irá lançá-los em uma aventura para a vida toda. Exibido nos festivais de Veneza e Toronto 2017.​


O que te faz mais forte (Stronger, de David Gordon Green)

​A história real de Jeff Bauman, uma das vítimas do ataque da Maratona de Boston, em 2013. Esperando por sua ex-namorada Erin na linha de chegada, ele perde as duas pernas quando a explosão ocorre. Depois de recuperar a consciência no hospital, Jeff ajuda a polícia a identificar um dos criminosos, mas sua própria batalha está apenas começando. O longa retrata meses de reabilitação física e emocional com o apoio inabalável de Erin e sua família. Um relato profundamente pessoal e uma jornada de coragem interior para superar adversidades devastadoras. Com Jake Gyllenhaal. Toronto 2017.​


Pastor Cláudio, de Beth Formaggini

Conversa entre Eduardo Passos, psicólogo deleuziano, e Cláudio Guerra, assassino que esteve a serviço do estado brasileiro durante a ditadura civil-militar instaurada em 1964. Pastor Cláudio foi responsável por mortes, desaparecimentos forçados e ocultação de cadáveres de militantes que até hoje estão desaparecidos.​


Patti Cake$, de Geremy Jasper

Patricia “Killa P” Dombrowski canta suas rimas atrás do balcão de um bar para conseguir pagar os gastos médicos de sua avó e sustentar sua mãe alcóolatra cuja carreira musical nunca deu certo. Patti e seu parceiro e melhor amigo Jheri sonham com fama, fortuna e em fugir de Dirty Jersey o mais rápido possível, mas ainda não encontraram um produtor que possa alavancar suas carreiras. Até que ela inesperadamente se aproxima de Basterd, um recluso músico de goth-metal que poderá ser sua chance de chegar ao estrelato no hip-hop. Sundance e Quinzena dos Realizadores de Cannes, 2017.​


Terra selvagem (Wind River, de Taylor Sheridan)

Quando o guarda florestal Coby Lambert encontra um corpo na região selvagem da reserva indígena de Wind River, o FBI envia a agente novata Jane Banner para investigar o caso. Sem saber como lidar com o frio e a neve do opressivo inverno do Wyoming, Banner rapidamente escala Lambert como seu guia em uma comunidade devastada por drogas e violência. O filme marca a estreia na direção de Taylor Sheridan, premiado roteirista de filmes como A qualquer custo. Com Jeremy Renner. Prêmio de melhor direção na mostra Um Certo Olhar no Festival de Cannes 2017.​


Top of the Lake: China Girl, de Jane Campion (criadora e direção) e Ariel Kleiman (direção)

A detetive Robin Griffin acaba de voltar a Sydney e tenta reconstruir sua vida. Assombrada pela filha que deu para adoção anos atrás, ela tenta desesperadamente encontrá-la, mas teme revelar a verdade sobre sua concepção. Quando o corpo de uma menina asiática surge em uma praia, há pouca esperança de se encontrar o assassino, até que Robin descobre que ela não morreu sozinha. Agora, sua busca pela verdadeira identidade da “Garota Chinesa” vai levá-la aos cantos mais escuros da cidade, e cada vez mais próxima dos segredos de seu coração. Segunda temporada da série criada por Jane Campion.​


They, de Anahita Ghazvinizadeh

Aos 14 anos, J vive com seus pais em um subúrbio da cidade de Chicago. Explora sua identidade de gênero e toma bloqueadores de hormônio com o intuito de retardar sua puberdade. Depois de dois anos de medicações e terapia, J precisa decidir se irá de fato fazer sua transição. Em um fim de semana crucial, com seus pais longe de casa, a irmã de J, Lauren, e seu amigo e possível namorado Araz chegam para lhe fazer companhia. Um retrato delicado do período de suspensão entre a infância e a idade adulta, entre identidades sexuais e de gênero. Exibido no Festival de Cannes 2017.​


Todas as razões para esquecer, de Pedro Coutinho

Após terminar sua relação de longa data, Antônio não duvida que rapidamente vai esquecer Sofia. Mas nada é tão simples quanto parece. E percebendo a impossibilidade de controlar os próprios sentimentos, ele passa a boicotá-los, usando todo tipo de medidas paliativas contemporâneas para se libertar da lembrança da ex: psicanálise cognitiva, remédios tarja-preta, Tinder, entre outras. Assim, Antônio vai passar por várias situações tragicômicas.​


The Leisure Seeker, de Paolo Virzi

O Caçador de Lazer é o apelido que Ella e John Spencer deram a seu trailer, que usavam para tirar férias com os filhos nos anos 1970. Hoje, já na terceira idade e loucos para fugir de uma vida de cuidados médicos, o casal volta a embarcar no veículo e parte em direção a Key West para uma nova aventura. A viagem por uma América que já não reconhecem mais – misturando momentos hilários com outros de puro terror – é a chance para retomarem uma vida de paixão e devoção, mas também de obsessões secretas que ressurgem abruptamente. Festivais de Veneza e Toronto 2017.


Unicórnio, de Eduardo Nunes

Maria, uma menina, está sentada num banco ao lado de seu pai. A conversa que eles têm ali conduz a narrativa do filme: acompanhamos a história na rústica casa de campo, onde ela mora com a mãe e onde as duas aguardam a volta deste mesmo pai. A relação entre Maria e a sua mãe muda com a chegada de um outro homem.​


Verão 1993 (Estiu 1993, de Carla Simón)

Frida, do alto de seus seis anos, assiste em silêncio enquanto os últimos objetos do apartamento de sua falecida mãe são guardados em caixas. A família de seu tio a recebe de braços abertos, mas demora para que a menina se acostume à vida no campo, longe da cosmopolita Barcelona, onde sempre viveu. À noite, Frida reza para sua mãe, de quem sente muita falta, e durante o dia tenta achar seu lugar nesta nova vida. Uma história de amadurecimento face às consequências de uma doença imprevisível. Ganhador do Grande Prêmio da mostra Geração do Festival de Berlim 2017.​


Yonlu, de Hique Montanari

Baseado na história real de Vinícius, de nome artístico Yonlu, dono de grande talento como poeta, músico e desenhista. O rapaz, um gênio que domina quatro idiomas, que escreve seus poemas em inglês e faz sucesso na internet tocando suas músicas, sente-se deslocado socialmente e melancólico diante da vida. Para tentar superar essas dificuldades, começou a fazer análise aos oito anos. Aos 16, num momento de maior fragilidade, procura um fim apoiado por um grupo de internautas em um site onde sugerem métodos de suicídio.

Clique aqui para conferir a programação completa com todas as sessões, preços e horários do Festival do Rio.


Siga a Quarta Parede nas redes sociais: clique aqui e curta a nossa página no Facebook.

Carioca, apreciador de filmes e séries em tempo integral, quando o Bernardo (filho dele) deixa. Iniciou sua admiração pela sétima arte com os clássicos da sessão da tarde e se apaixonou pelo mundo das séries quando o Voo 815, da Oceanic, caiu misteriosamente em algum lugar no meio do nada...

2 thoughts on “Lista | 45 filmes para assistir no Festival do Rio!

Deixe seu comentário: