Lista | Os 10 melhores episódios de Game of Thrones!

Não é novidade alguma que a sétima temporada de Game of Thrones não está sendo uma unanimidade. Até mesmo o promissor Beyond The Wall, que poderia ser um dos grandes episódios da série, acabou sendo prejudicado por incoerências na concepção de seu roteiro, apesar de ter mostrado incríveis sequências de ação e uma ótima produção.

No entanto, ao longo dos anos fomos brindados por episódios que marcaram o seriado e até mesmo a televisão moderna. Batalhas, tragédias, traições e conspirações mostraram ao público que em seus melhores dias, Game of Thrones fez seu espectador sentir-se altamente impactado com o que assistiu. Sem mais delongas, vamos aos 10 melhores episódios da série, dentre os 66 exibidos até então:

10 – The Lion and the Rose (4×02)

Após 32 episódios assistindo as detestáveis atitudes do intragável Joffrey, sua morte chegou da forma mais bizarra possível. E até mesmo prestes a morrer ele prejudicou o tio, Tyrion, o que nos fez gostar ainda mais do que aconteceu. Mas não somente de mais um trágico casamento de Game of Thrones viveu neste episódio. Escrito por  George R. R. Martin, The Lion and the Rose também mostrou os planos de Roose Bolton em legitimar o então Ramsay Snow como seu herdeiro, além de vermos Bran usando seus poderes de Warg e enxergando o seu destino: encontrar o Corvo de Três Olhos.

9 – The Door (6×05)

Hold the door! A história de origem do gigante gentil Hodor foi uma das mais bem construídas e trágicas jornadas de toda a série. Sim, ao explorar este conceito onde a consciência de Bran viaja no tempo e define ações no presente e passado, Game of Thrones desvendou um mistério em The Door e emocionou seus fãs. Mas esta não foi a principal revelação do episódio escrito por David Benioff & D. B. Weiss. Em uma de suas visões, Bran e o Corvo de Três Olhos assistiram a criação do Rei da Noite pelas Crianças da Floresta. Utilizando sozinho seus poderes, também tivemos a marcante cena onde o Rei da Noite toca o braço de Bran e como consequência, os mortos o perseguem e vários sacrifícios acontecem: O Corvo de Três Olhos morre e Verão, as Crianças e Hodor dão a vida para que o jovem e Meera possam fugir.

Nas Ilhas de Ferro, Yara (que havia reivindicado o trono de Sal) e Theon fogem com uma frota de navios, após Euron Greyjoy chegar e se tornar o Rei por lá. Em Braavos, Arya recebe uma missão de ‎Jaqen H’ghar‎‎, para matar a atriz de teatro Lady Crane e revive, em uma peça satírica, os dia em que seu pai foi decapitado. E tem mais: Foi neste episódio que Mindinho ofereceu o exército do Vale a Sansa, para lutar contra os Bolton. Além disso, Daenerys ordenou a Jorah que buscasse a cura do escaramagris, em uma emocionante partida do nosso eterno friendzone.

8 – The Mountain and the Viper (4×08)

O julgamento por combate de Tyrion, que culminou na luta entre Oberyn Martell e Ser “Montanha” Clegane, foi um espetáculo que combinou ótimas coreografias, tensão e uma das cenas mais grotescas do seriado. A essa altura, Game of Thrones ainda subvertia as expectativas, em um duelo que já era dada como certa a vitória.

Ainda neste episódio, o exército de  Mance Rayder se preparava para atacar a Muralha. Com a ajuda de Theon, ou melhor “Fedor”, Ramsay cumpriu sua missão e tomou o fosso Cailin. Roose Bolton o legitimou como seu herdeiro e eles partiram para Winterfell. Do outro lado do Mar Estreito, Barristan Selmy descobriu que Jorah havia espionado Daenerys a pedido de Robert Baratheon, enquanto que no Vale, Mindinho foi interrogado pela morte de Lisa Arryn, tentando sustentar a história de que Sansa era sua sobrinha. Por pouco as irmãs Stark não se encontraram pois neste episódio, O Cão e Arya chegaram no ninho da águia. Ao saber da morte de sua tia, ela ri de forma surpreendente e eles vão embora.

7 -The Watchers on The Wall (4×09)

Em um episódio totalmente dedicado a Patrulha da Noite, os Selvagens liderados por Mance Rayder chegam à Muralha. Vale lembrar que diversas tribos dos mais diversos tipos se juntaram a Mance. A chegada deles, com direito a gigantes (um deles montado em um enorme mamute) foi espetacular. Muitos escalaram a Muralha e chegaram até o Castelo Negro, onde aconteceu uma sequência de batalha impressionante. A Patrulha, em menor número, assistiu aterrorizada ao cerco mas conseguiu resistir bravamente. Alguns deles tiveram que matar um dos gigantes, em um duelo que lhes custou a vida mas impediu o avanço por um dos portões.

Dentro do castelo, Alliser Thorne e Jon Snow comandaram a defesa do local contra os Selvagens, encabeçados por Tormund, Styr e Ygritte. Dos amigos de Jon, Sam e Ed sobreviveram mas Grenn e Pyp acabaram morrendo. Fantasma também participou do combate, matando alguns Selvagens. Em uma luta visceral, Jon quase é morto por Styr mas consegue derrotá-lo, quase sendo morto depois por Ygritte. Ela, que já havia titubeado uma vez, estava com Snow na mira de seu arco mas o garoto Olly (que depois se tornaria o desgraçado que conhecemos) a impede, desferindo-lhe uma flechada fatal. O episódio termina com Jon indo de encontro a Mance, que havia ficado do lado de fora com boa parte de seu povo. Intenso e cheio de ação, The Watchers on the Wall não deixou o espectador respirar por um instante.

6 – Blackwater (2×09)

Em Blackwater presenciamos a primeira grande batalha da série e ela toma o episódio todo para si. Stannis Baratheon chegou a Baía da Água Negra com sua frota liderada por Davos, acreditando que poderia tomar o Trono de Ferro. No entanto, ele foi surpreendido por um navio repleto de fogo vivo, fazendo com que parte de seu exército fosse destruída. A brilhante ideia de Tyrion, então Mão do Rei, foi fundamental para conter o avanço de Stannis, que juntou os soldados que sobreviveram em botes e desembarcou na praia, tentando uma invasão. É neste episódio que Jofrey foge para a Fortaleza Vermelha a pedido de Cersei. Além disso, Sandor “Cão de Caça” Clegane deserta, abandonando Porto Real.

No fim, Tyrion brilha mais uma vez e conduz o exército Real para a resistência e até vai para o combate. É nessa batalha que ele ganha a cicatriz  que possui no rosto, sendo salvo da morte por Podrick, o agora escudeiro de Brienne, que na época exercia a função para o duende. No fim, um exército liderado por seu pai Tywin Lannister e Sor Loras Tyrell chega a cidade, derrotando as forças de Stannis que se vê obrigado a recuar e foge.

5 – The Winds of Winter (6×10)

O episódio que fechou a sexta temporada de Game of Thrones teve duas árduas missões: encerrar uma temporada que havia sido boa mas não unânime, além de dar sequência a um dos melhores episódios da série até então. Além disso, é em The Winds of Winter que o inverno chega. Em Porto Real, em uma sequência muito bem construída, Cersei Lannister queimou todos os seu inimigos e mandou para os ares o Grande Septo de Baelor, incluindo o Alto Pardal e a Rainha Margaery Tyrell. Por esse motivo o rei Tommen Baratheon se suicidou e ela reivindicou o Trono de Ferro.

Nas Gêmeas, Arya Stark mata Walder Frey, em uma surpreendente cena que vingou o Casamento Vermelho. Em Winterfell, Jon Snow foi declarado Rei no Norte pelos senhores das casas nortenhas. Além da Muralha, Bran Stark descobriu que Jon é filho de Lyanna Stark, portanto seu primo. Na Campina, Samwell Tarly chega à Cidadela. Em Essos, Daenerys Targaryen retorna à Westeros ao lado de Tyrion (Mão da rainha), todo o seu exército e seus novos aliados Yara Greyjoy, os Tyrells, Martells e seus três dragões.

4 – Hardhome (5×08)

Uma das melhores batalhas de Game of Thrones aconteceu neste episódio que marcou também a ruptura mais expoente com seu material de origem, por não constar nos livros. Outras coisas aconteceram, como as visitas da Septa Unella à Cersei (confesse) e Arya seguindo com o seu treinamento em Braavos, exitando em matar um vendedor de ostras. Em Winterfell Sansa obteve a confissão de Theon sobre não ter matado seus irmãos Bran e Rickon. Em Meeren, Daenerys exilou Jorah e tivemos também uma ótima cena com Tyrion, em um diálogo sobre sua reivindicação ao trono. Na ocasião, ela disse que não tinha intenção de parar a roda e sim quebrá-la, fazendo uma alusão as Casas de Westeros que detém o poder ou almejam para si. Na Muralha, Olly já dava indícios de que trairia Jon em uma conversa com Sam, sobre a associação do então Lorde Comandante com os Selvagens.

Em Hardhome, uma das sequências mais tensas e bem filmadas da série acontecem, ampliando a mitologia de Game of Thrones e nos dando uma visão maior sobre os caminhantes brancos, mortos e o Povo Livre. Além disso, tivemos de forma clara a verdadeira ameaça sendo exposta na série. Jon, Tormund e alguns membros da Patrulha da Noite obtiveram certo sucesso na negociação em Durolar, conseguindo parte do apoio que precisavam. Jon havia oferecido terras para que eles cultivassem, ao Sul da Muralha, em troca de sua lealdade na guerra contra os mortos. Antes que pudessem embarcar, no entanto, um ataque acontece e dizima grande parte deles. Jon tenta resgatar o vidro de dragão que havia levado e derrota um Caminhante Branco com sua espada Garralonga. No fim, eles fogem e presenciam o Rei da Noite reviver todos os derrotados na batalha. Uma cena silenciosa, fria e assustadoramente épica.

3 – Battle of The Bastards (6×09)

A sexta temporada encerrou a tradição do episódio 9 na série, com o ótimo Battle of The Bastards. Tentando retomar o controle do Norte, Jon Snow e Sansa  não tiveram o apoio que esperavam mas contaram com o reforço dos Selvagens (com direito ao gigante Wun Wun), os Mormont, Davos e a salvação providenciada por Mindinho, que veio através dos cavaleiros do Vale. Mesmo em menor número e a sentida baixa de Rickon Stark, a bravura foi essencial para o combate.

Do outro lado, Ramsay Bolton mesmo com um enorme exército e apoiado por várias Casas do Norte, acabou perdendo a sangrenta e visceral batalha. A representação do embate fez com que o episódio tivesse um viés altamente cinematográfico, com várias referências, inclusive a Senhor dos Anéis. Graficamente o duelo prende a atenção, é tenso e constrói uma tensão absurda. No fim, o jantar dos cães em Winterfell deu fim à Bolton, que para muitos foi o maior vilão da série até então.

2 – Baelor (1×09)

Baelor talvez tenha sido o primeiro episódio da série que explodiu cabeças (e cortou) de forma arrebatadora. Para quem leu os livros a sensação não foi a mesma, mas para aqueles que folhearam pela primeira vez essa parte da história, deve ter sido igualmente chocante. Recordando: Ned Stark era prisioneiro em Porto Real e havia deixado de ser a Mão de Rei após a morte de Robert Baratheon. Sansa implorou ao Rei Joffrey para poupar a vida de seu pai. Com o apoio de Cersei Lannister, ele concordou com a ideia, desde que Ned o reconhecesse como legítimo Rei e se confessasse publicamente (e injustamente) um traidor.

Inicialmente o Lorde de Winterfell se recusou, mas acabou concordando pelo bem de suas filhas, depois de uma conversa com Varys. Quando chegou o momento da confissão e julgamento, Ned cumpriu sua parte no acordo mas Joffrey mandou executá-lo, para desespero de suas filhas, já que além de Sansa, Arya também assistia ao julgamento escondida, no meio do povo. Desta forma, Ned Stark foi decapitado e morreu desonrado. Surgia ai a fama de que em Game of Thrones qualquer um pode morrer.

1 – The Rains Of Castamere (3×09)

Traição, mortes e uma reviravolta inesperada marcaram o casamento de Edmure Tully com Roslin Frey, no evento mais conhecido como Casamento Vermelho. O episódio The Rains Of Castamere não é somente um marco na série mas na cultura pop. Contextualizando: Robb Stark havia quebrado um juramento feito a Walder Frey e ao invés de se casar com uma das filhas do senhor da Casa Frey, em troca de uma travessia pelas suas terras, ele o fez com a enfermeira Talisa, durante a guerra que travava rumo à capital. Ao chegar nas Gêmeas, tempos depois, ele se desculpou com Frey e aparentemente tudo estava bem. O casamento aconteceu, Edmure e sua esposa foram para o quarto e as festividades continuaram. Mas quando os portões do salão foram fechados por um dos filhos do Walder Frey e a canção Rains of Castamere (música dos Lannister) começou a ser tocada pela banda,  Catelyn desconfiou. Arya e o Cão de Caça quase chegaram no local a tempo mas foram barrados na entrada. A menina até conseguiu entrar e presenciar o exercito Stark sendo traído e o Lobo de Robb, Vento Cinzento, ser assassinado.

No salão, Catelyn percebendo que Roose Bolton estava vestindo uma cota de malha por baixo da roupa confirmou a traição. Talisa, que estava grávida, foi assassinada com várias facadas na barriga. Robb e Catelyn foram atingidos por flechadas. Ela tentou negociar a liberação de Robb mas Roose Bolton, após dizer “Os Lannister mandam lembranças”, o matou com uma facada no coração. Catelyn até cortou a garganta de uma das esposas de Frey mas foi morta da mesma maneira. Houveram outros núcleos e acontecimentos no episódio, mas o casamento carregou sem dúvidas uma enorme carga dramática e deixou um gosto terrivelmente amargo, marcando definitivamente a série. Talvez o maior nó na garganta que Game of Thrones apresentou, em uma época em que ninguem estava a salvo.

Também vale a pena rever

Para ser justo, há muitos episódios que também marcaram Game of Thrones e embora não façam parte da lista, merecem uma menção. É o caso de Fire and Blood (1×10), quando Daenerys sobrevive ao fogo e vemos pela primeira vez os seus dragões, além da coroação de Robb Stark como Rei do Norte. Ainda podemos citar o recente The Spoils of War (7×04), quando a Não Queimada dizima o exército Lannister e quase põe fim a jornada de Jaime na série. A Rainha da Tormenta ainda protagonizou o ótimo And Now His Watch Is Ended (3×04), quando Daenerys, após trocar Drogon com um escravagista, pega de volta seu dragão, ordena a morte de seu inimigo (queimado com Dracarys) e deixa Astapor com os Imaculados.

Também valem uma revisita: The Children (4×10), comTyrion matando Shae e seu pai Tywin Lannister, além da inesquecível cena de luta entre Brienne e O Cão; The Dance of Dragons (5×09), quando Drogon chega para salvar o dia na Arena Daznak; Valar Morghulis (2×10), quando Sam assiste aterrorizado o exército dos mortos marchar em direção à Muralha, além de Jaqen H’ghar entregar a moeda especial para Arya e Daenerys fugir da Casa dos imortais; e por que não o piloto da série Winter is Coming (1×01), uma bela introdução a este universo e que se manteve fiel em sua maior parte aos primeiros capítulos do primeiro livro de George R. R. Martin.

Concordou com a lista? Para você, qual o melhor ou os melhores episódios de Game of Thrones? Deixe seu comentário e vamos ampliar a publicação!


Clique aqui e curta nossa página no Facebook

Carioca, apreciador de filmes e séries em tempo integral, quando o Bernardo (filho dele) deixa. Iniciou sua admiração pela sétima arte com os clássicos da sessão da tarde e se apaixonou pelo mundo das séries quando o Voo 815, da Oceanic, caiu misteriosamente em algum lugar no meio do nada...

Deixe seu comentário: