Game of Thrones | Vazamentos, spoilers e o bom senso

A notícia de que o vazamento do penúltimo episódio da sexta temporada de Game of Thrones havia ocorrido caiu como uma bomba daquelas, na última terça-feira (15). Não que isso seja novidade pois há duas semanas, a Star India, empresa que distribui conteúdo do canal na Ásia, vazou acidentalmente o episódio 4 The Spoils of War. Ainda que em má qualidade, a internet pirou com a batalha da campina sendo antecipada.

O caso de ontem, porém, é mais bizarro. Além de ainda estarmos reverberando acontecimentos de Domingo, a forma como ocorreu o deslize foi a mais inacreditável possível. Esperava-se que os invasores que tentaram extorquir a HBO no mês passado pudessem fazer isso, mas ficaram apenas nos roteiros e em conteúdos de outros seriados. Eis que então a HBO da Espanha, em uma de suas reprises semanais colocou no ar, ao invés de Eastwatch, o episódio 6! Instantaneamente o assunto Game of Thrones dominou a internet, junto com vídeos e imagens que ninguém pediu para ver e os temidos e famigerados spoilers. Ah, os spoilers…

Pedido de bom senso não é julgamento

Recentemente o Business Insider divulgou em seu site um levantamento feito pela Parrot Analytics, sobre a popularidade das séries até o fim de Julho deste ano. No topo do ranking (veja o post), Game of Thrones comprovou seu enorme apelo com o grande público, leitores ou não das Crônicas de Gelo e Fogo, de George R. R. Martin.

Nas conversas com amigos, grupos de Facebook e até mesmo em festas de família, não se fala em outra coisa desde que a temporada estreou. A cada dez publicações na timeline de quem é fã da série, pelo menos em uma há alguma imagem do Jon Snow, Daenerys ou do Drogon. O fenômeno de popularidade, porém, gera uma desagradável falta de bom senso por parte de muitos, que tornam sua forma de lidar com a obra uma experiência coletiva e não pessoal.

Sophie Turner como Sansa, no episódio 6

Se um episódio vazou, é óbvio que muitos irão assistir. Não adianta exigir ou julgarmos este comportamento de forma hipócrita. Quando o conteúdo da sétima temporada vazou, ainda no ano passado, muitos fãs correram para ler tudo sobre a trama. É natural que existam pessoas que não se incomodem em assistir um episódio em 360p (desperdício) ou ler o conteúdo de algo que ainda nem foi gravado. Você pode até achar um absurdo mas é uma decisão individual. A grande questão é fazer disso um troféu e estragar a experiência dos demais. Para muitos o importante é saber antes de tudo e de todos, na mais pura ostentação do conhecimento. Para outros, apenas uma forma de já saber o que irá acontecer. Não adianta: quem não gosta de spoiler nunca irá entender esse entusiasmo.

Reforçando: não estou dizendo que você está errado ou certo em assistir. Só estou pedindo para não ser desagradável. Mas também há um recado para os mais tradicionais.

Hoje a internet tornou-se uma terra perigosa para você, assinante da HBO, que vai parar tudo o que estiver fazendo às 22 horas de Domingo para ver o que se passou Além da Muralha. A frase “A internet noite é escura e cheia de terrores” nunca caiu tão bem para o momento. Então, caro amigo, não espere o bom senso da maioria. Se você manter as suas notificações ativadas nos grupos de Game of Thrones, você vai ver imagens do…quase entreguei, foi mal. Também levei esse spoiler, meu caro! Então é isso que acontece: ou você assiste, caro leitor, ou evita. Ninguém está certo, ninguém está errado (Mindinho feelings).

Mas isso não te impede, amigo amante do spoiler, de ter bom senso. Ou pelo menos tentar. De criar um tópico em seu grupo para discutir o episódio vazado. De não postar imagens os gifs da sua timeline. De não mandar fotos da…enfim. O episódio ainda não foi exibido oficialmente. Será que é perdir muito? Da mesma forma eu imploro: não julgue para não ser julgado. Conforme a baiana Pitty diz em uma de suas músicas, “quem não tem teto de vidro, que atire a primeira pedra”.

Melhore HBO

Ninguém duvida da grandiosidade da HBO e de seus conteúdos. Séries como The Wire, Sopranos, Oz, Deadwood e a recente The Leftovers, além da própria Game of Thrones, estão indiscutivelmente entre as maiores obras da televisão, em tempos de eras de ouro. Porém, para uma empresa desse porte, os últimos vazamentos e a invasão que resultou em um prejuízo enorme no roubo de dados colocam em xeque a credibilidade da empresa. Não em seu conteúdo artístico mas na forma de resguardar e oferecer o produto.

Sejamos justos: nem sempre a culpa é do estagiário

Em nenhum dos cinco episódios exibidos até agora houve estabilidade no HBO GO, plataforma que possibilita a distribuição de seu conteúdo online, seja para assinantes ou não de TV a Cabo. Em muitos casos, foi possível assistir ao episódio somente após o término da exibição. Lembrando que o conteúdo fica disponível a partir do horário de exibição na TV. Precisamos ser justos antes de brigarmos. Afinal de contas não precisamos ser desagradáveis uns com os outros mas a emissora não pode errar de forma tão grotesca.


Clique aqui e curta nossa página no Facebook

Carioca, apreciador de filmes e séries em tempo integral, quando o Bernardo (filho dele) deixa. Iniciou sua admiração pela sétima arte com os clássicos da sessão da tarde e se apaixonou pelo mundo das séries quando o Voo 815, da Oceanic, caiu misteriosamente em algum lugar no meio do nada...

Deixe seu comentário: