Crítica | Batman vs Superman: A Origem da Justiça


Depois de uma grande expectativa, finalmente estreou em Março o filme Batman vs Superman: A Origem da Justiça. As opiniões sobre o longa foram distintas. Se por um lado a crítica especializada desaprovou em sua maioria a obra de Zack Snyder, o grande público ficou dividido entre fãs (dos quadrinhos) decepcionados e outros mais satisfeitos.

BatmanvsSuperman

Ambientado durante e após os eventos de “Homem de Aço”, neste filme vemos a perspectiva da batalha em Metrópolis entre Superman (Henry Cavill) e Zod, do ponto de vista de Bruce Wayne (Ben Affleck). A apresentação do personagem com um rápido flashback da morte dos pais de Bruce e de sua primeira experiência com os morcegos é pontual (afinal ninguém aguenta mais sua história de origem) e logo o vemos em Metrópolis, onde estava a negócios em meio a batalha. Todas as consequências da destruição e o caos gerado pela luta sob um outro ponto de vista foram interessantes de ser ver, afinal é o que impulsiona a trama em linhas gerais.

Wayne é introduzido neste universo cinematográfico DC/Warner de uma forma ainda não vista nos cinemas: na ativa há mais de vinte anos, ele é um cara envelhecido pelo peso da responsabilidade, cheio de marcas de batalhas (no traje e no corpo) e o maior diferencial: é um Batman furioso. Ao contrário de outras abordagens deste personagem, este homem morcego se necessário mata. Não sei se todo o background desse anos de combate ao crime será explicado em outros filmes, mas já é obvio que ele já passou por muitas coisas e agora o pavio é curto. Curtíssimo. Affleck entrega uma atuação que não deve em nada a Christian Bale na aclamada trilogia de Christopher Nolan, o que causava muita aflição nos fãs por causa do seu pífio papel como Demolidor, em 2004.

BatmanvsSuperman-armadura

Outro personagem introduzido neste filme é Lex Luthor (Jesse Eisenberg). Só que ao contrário do homem morcego, sua atuação é exagerada. Talvez, por conta de uma representação da irresponsabilidade de um jovem no comando de uma grande corporação, mas há algo que destoa em seus planos e motivações. Não funciona como deveria. Para ser justo, não é uma performance que seja descartável e até existem bons momentos.

É  dele  uma cena deletada que foi liberada após o lançamento do filme, para que se tivesse um pouco mais de coerência em sua trama (por que Warner?). A sequência mostra o momento em que ele é encontrado se comunicando com um ser alienígena na nave Kryptoniana, antes de ser preso.

Bvs5
A fotografia do filme é ótima. Um trabalho de identidade visual peculiar no estilo mais sombrio que corrobora com a proposta da DC nos cinemas. A trilha sonora também agrada, e nota-se um estilo menos aventuresco (como acontece em outros filmes do gênero), mas não menos empolgante. Nos momentos em que ela se eleva vemos ali a marca da direção de Snyder, que prima pelo grandiosidade excessiva no audiovisual. Tudo é uma questão de estilo, assim como são retratados os efeitos especiais. Esteticamente e visualmente o filme funciona e o resultado nesse aspecto é bom.

As cenas de ação não decepcionam. A sequência onde Bruce sonha e Batman está no deserto é excelente. Aliás seria um sonho ou um vislumbre? Veremos isso em outro momento. Além disso, o confronto  entre ele e o Superman, que a princípio fica na ameaça e mais a frente chega as vias de fato também é muito bom (embora o que leve a isso não seja muito consistente). Em um momento sensacional, a Mulher Maravilha (Gal Gadot) rouba a cena e torna a sequência final ainda mais interessante. Gal está ótima no papel! Quando Diana Prince surge e a trilha sonora sobe, me arrisco a dizer que é o ponto alto do longa. Sua interação com Bruce ao longo da trama também é interessante e a parte em que ele descobre, um pouco antes, que ela tem pra lá de cem anos é muito legal.

gifBvsS

wwgif

A ameaça final a ser combatida, Apocalipse, emula um importante arco dos quadrinhos, com alguns aspectos bem diferentes a começar pela sua criação. A luta é empolgante e deu angustia quando o Batman ficou fugindo da besta. Quando a Mulher Maravilha usou o laço para prende-lo foi sensacional. No fim das contas, como a alternativa para acabar com ele, restava apenas a conveniente arma de kryptonita que o Batman abandonou convenientemente para ser encontrada por Lois?

A única forma de matar Apocalipse era na base do sacrifício, pois o desgraçado vive no estilo “o que não me mata me fortalece”. Nem bomba atômica no espaço dava cabo do demônio. Mas também era a única forma de dar o start para a criação da Liga e da continuação da série de filmes. Quer motivação maior que uma perda emblemática? Já vimos isso por ai antes. E tal qual a HQ, Superman está morto mas não deverá continuar. De qualquer forma, foi corajoso retratar isso no cinema, ainda mais sendo um personagem tão icônico.

BatmanvsSuperman_superman

Por conta dos furos no roteiro, algumas ações no longa ficaram um pouco perdidas. Algumas tramas pareceram confusas, como a do português branco e os acontecimentos envolvendo as ações do Superman no começo do filme. A versão de Zack Snyder deveria ter mais de três horas de duração e foram cortados cerca de trinta minutos. O filme é longo e em alguns momentos da para notar problemas de ritmo e alguns cortes indo de um ponto ao outro como se estivesse faltando alguma coisa.

A Warner até cogitou lançar a versão estendida nos cinemas e é inegável que isso traria um pouco mais de substância a trama, que parece apressada no intuito de contar uma história e ao mesmo tempo introduzir personagens e preparar o terreno para futuros filmes. O hackeamento dos arquivos de Luthor, apresentando os meta-humanos por exemplo, soa como uma satisfação e lembrança aos fãs de que a Liga da Justiça vem ai. Não precisava, mas…até que foi legal ver os mini-teasers de Aquaman, Flash e Ciborgue.

Batman vs Superman está longe de ser um filme ruim, mas a comparação com a Marvel é inevitável. A rivalização/polarização e a necessidade de criar um universo  conectado trás ao espectador filmes que se preocupam em fazer amarras o  tempo todo, e isso em certos momentos soam apenas como se cada filme fosse uma história transitória. Claro que a Casa das Idéias possui uma fórmula já consolidada e um estilo bem peculiar e  isso foi se construindo ao longo de muitos filmes. A DC/Warner precisa encontrar a sua fórmula pois ficou  a mercê do imediatismo. Torço por isso!


Para acompanhar as publicações do Quarta Parede, siga as nossas redes sociais ou inscreva-se por e-mail para receber notificações de novos posts, logo abaixo da área de comentários ou no menu à direita!

Carioca, apreciador de filmes e séries em tempo integral, quando o Bernardo (filho dele) deixa. Iniciou sua admiração pela sétima arte com os clássicos da sessão da tarde e se apaixonou pelo mundo das séries quando o Voo 815, da Oceanic, caiu misteriosamente em algum lugar no meio do nada...

14 thoughts on “Crítica | Batman vs Superman: A Origem da Justiça

  1. A opinião distinta de cada um desfere na minha análise um tema diferenciado. Claro, é inegável a comparação com a Marvel, pois podemos afirmar que ela está anos luz a frente no estilo heróis (mesmo tendo penado bastante com suas pífias aventuras de Hulk entre outros). Vejo uma vantagem da DC em relação a tudo isso, pois eles tem em mãos nada menos do que os dois heróis mais aclamados pelos críticos e fãs em todo mundo. Podem fazer destes uma nova face para a origem desses que nos postularam com suas narrativas nos quadrinhos por muitos anos, em geração a geração. Batman, melhora a cada dia e agora chegou no seu ápice. Um Bruce enraivecido e psicologicamente abalado, assistido por um Clark enciumado por não ser único ao seu redor. Os vilões deixando a desejar, como Lex postulante a um Charada sem graça. O envolvimento da história dos quadrinhos com os jogos virtuais trouxeram uma ar intrigante ao filme, seria este um prologo de próximos capítulos? Mas finalizando com aquele ar feminino com a esmagadora e sarcástica Mulher Maravilha, um dos pontos mais altos da trama. Espero agora a continuação, e o lançamento de outras tramas daqueles que venham a ser a versátil liga da Justiça.

    1. Estamos todos ansiosos pela Liga da Justiça. E é claro, Batman e superman são heróis icônicos e complexos, dessa forma sempre esperamos o melhor. Se acertarem a mão poderão sim fazer um filme épico!

Deixe seu comentário: